Fundador de fabricante de smartphone de R$ 12 é preso por suspeita de fraude

Freedom 251 chamou a atenção por ser um smartphone extremamente barato

Diego Melo
Por

Mohit Goel, fundador da Ringing Bells, empresa indiana responsável pelo “smartphone mais barato do mundo”, foi preso por suspeita de fraude após a companhia Ayam Enterprises acusá-lo de não ter reembolsado uma compra milionária não entregue pela empresa. Ele foi detido na tarde da última quinta-feira (23) em Uttar Pradesh, um estado indiano com mais de 200 milhões de habitantes, segundo a Reuters.

De acordo com a acusação, a Ayam Enterprises havia pago 3 milhões de rúpias (cerca de R$ 138 mil) por um lote do smartphone Freedom 251, porém recebeu apenas uma parte da encomenda, com vários aparelhos defeituosos. De acordo com a empresa, eles haviam sido persuadidos por Goel, em novembro de 2015, a se tornarem distribuidores do smartphone na Índia.

Após solicitar o reembolso, a empresa disse ter recebido apenas um total de 1,4 milhões de rúpias (cerca de R$ 64,5 mil) em dinheiro e em novos aparelhos. Ao requisitar à Ringing Bells o reembolso total da compra, os proprietários da Ayam Enterprises disseram ter sofrido ameaças de morte feitas por Mohit Goel e por outro executivo da companhia.

Mohit Goel apresentando o Freedom 251 em Nova Delhi, em 2016 (foto: AP)

O Freedom 251 chamou a atenção ao ser anunciado, em 2016, como o “smartphone mais barato do mundo”, custando apenas 251 rúpias (equivalente a R$ 11,67 na cotação de hoje), o que atraiu uma alta demanda, mas também a desconfiança de críticos e céticos em relação ao seu modelo de negócio — inclusive de órgãos reguladores de preços da própria Índia, um dos maiores mercados de smartphones de baixo custo do mundo.

Mohit Goel será levado a julgamento nesta semana. A Ringing Bells ainda não se pronunciou sobre o caso.

Relacionados

Relacionados