Notícias Internet

Facebook vai contratar 3 mil pessoas para revisar vídeos de violência

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Você já deve ter se deparado com vídeos de violência no feed de notícias do Facebook. Esse tipo de conteúdo é tão presente por lá que a empresa decidiu agir: 3 mil funcionários serão contratados nos próximos meses só para filtrar publicações inapropriadas. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (3) pelo próprio Mark Zuckerberg.

Provavelmente, a decisão tem relação com a promessa feita pelo Facebook no mês passado de apagar rapidamente vídeos violentos. Apesar de o problema ser antigo, a companhia passou a ser duramente criticada por não agir rápido contra esse tipo de conteúdo depois que um homem matou um senhor de 74 anos nos Estados Unidos e divulgou o vídeo da ação no Facebook.

Facebook

A principal crítica diz respeito ao tempo que o serviço leva para analisar um conteúdo suspeito e então executar a ação cabida. Segundo Zuckerberg, os 3 mil novos funcionários estão sendo contratados justamente para agilizar os processos de revisão. Eles se juntarão a um time global de 4,5 mil pessoas que já lidam com isso.

Zuckerberg também explicou que, além de vídeos, os revisores trabalham na remoção de todo tipo de conteúdo relacionado a outras violações dos termos de uso da rede social, como discursos de ódio e exploração infantil.

O melhor jeito de o Facebook descobrir um conteúdo inapropriado é recebendo denúncias de usuários. O problema é que, conforme explicamos aqui, o procedimento para reportar uma publicação é mais trabalhoso do que deveria ser.

Por conta disso, Zuckerberg reforçou que a rede social simplificará os meios de denúncias e enfatizou o quão importante é analisá-las com rapidez: foi graças a um alerta que, na semana passada, o Facebook conseguiu avisar as autoridades e impedir que um usuário cometesse suicídio.

Foto por Anthony Quintano/Flickr

São medidas bem-vindas, certamente, mas que podem não ser suficientes devido ao número gigantesco de usuários que a rede social possui. É por isso que, além de análise humana, o Facebook desenvolve ferramentas para filtrar conteúdo nocivo automaticamente. Mas essa também é uma tarefa complicada: os algoritmos ainda não conseguem pegar todo tipo de conteúdo proibido e, pior, podem bloquear publicações legítimas.

Apesar disso, a melhor abordagem parece ser mesmo a de combinar revisão humana com filtragem automática: o Facebook já vem fazendo isso, por exemplo, para coibir a chamada pornografia de vingança (revenge porn), outro problema sério na rede social.

Emerson Alecrim

Autor / repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado InfoWester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque