Apple e Nokia terminam briga e firmam parceria

Emerson Alecrim
Por

Mais uma briga envolvendo patentes e… Opa, desta vez, não. Seguindo um caminho contrário ao cada vez mais frequente “me processa que eu te processo também”, Apple e Nokia chegaram a um acordo para terminar com uma série de disputas por patentes que se arrastava por anos.

Ainda que a Nokia tenha vendido a sua divisão de dispositivos móveis para a Microsoft, a companhia continua sendo detentora de uma infinidade de patentes, afinal, foram mais de 20 anos trabalhando no desenvolvimento de tecnologias para o setor, com gastos superiores a 115 bilhões de euros.

Nokia

As primeiras batalhas dessa guerra começaram em 2009, cerca de dois anos depois do surgimento do iPhone. A Nokia processou a Apple em países como Estados Unidos, Reino Unido e Holanda sob acusação de violação de propriedade intelectual.

Para contra-atacar, a Apple tratou de processar a Nokia sob acusação — adivinhe — de uso indevido de tecnologias patenteadas em diversos modelos de celulares.

Esse conflito terminou em 2011, com a Nokia finalizando a história como a parte vitoriosa: a Apple pagou à companhia finlandesa um montante significativo (ainda que o valor não tenha sido revelado publicamente) e ambas concordaram em ficar em paz a partir dali.

Só que a trégua durou até o ano passado, quando a Nokia decidiu processar novamente a Apple. O motivo? Patentes, é claro: em 2011, a Apple concordou em pagar por determinadas patentes, mas foi acusada de usar outras 32 sem o devido licenciamento. Na abertura do processo, a Nokia argumentou que houve várias tentativas de negociação da sua parte, sem sucesso.

Tim Cook (Crédito: Business Insider)

Bom, essa briga terminou agora. Ambas as companhias anunciaram nesta terça-feira (23) um acordo que não só determina o fim da guerra como estabelece uma parceria de longo prazo.

A Apple concordou em pagar um montante (novamente, o valor não foi divulgado) pelo uso indevido das patentes em questão. Além disso, a empresa poderá utilizar, durante os próximos anos, diversas tecnologias da Nokia, assim como receberá desta serviços de redes e telecomunicações.

O acordo prevê ainda que a Apple volte a comercializar os produtos da Withings em suas lojas, marca de acessórios e gadgets que desde o ano passado pertence à Nokia.

Faz bastante sentido esse tratado de paz. Do ponto de vista comercial, a Apple tem que se preocupar com a Samsung e, principalmente, com o avanço agressivo das marcas chinesas no segmento móvel. Já a Nokia nunca dependeu tanto de acordos de licenciamento quanto agora.

Com informações: Engadget

Relacionados

Relacionados