Google Chrome ganha recursos de antivírus no Windows

Felipe Ventura
Por

O Chrome venceu a guerra dos navegadores: com mais de 50% de participação, ele está à frente da concorrência tanto nos desktops como nos smartphones, segundo o StatCounter.

Por isso, ele se tornou um grande alvo para programas maliciosos ou apenas irritantes, como extensões que mudam seu buscador sem autorização. O Google está fazendo algo a respeito.

Foto por Leonardo Augusto Matsuda/Flickr

O Chrome para Windows recebeu três mudanças para ajudar usuários a se recuperar de infecções de software.

Algumas extensões podem alterar suas configurações — como o buscador padrão — sem o seu consentimento. Quando o navegador detecta isso, ele exibe uma caixa de diálogo sugerindo que você reverta a mudança:

“No último mês, esse recurso ajudou milhões de pessoas a reverter configurações indesejadas”, escreve o Google. Também é possível redefinir suas configurações de perfil em chrome://settings/resetProfileSettings.

E no caso de programas (em vez de extensões) que mudam o comportamento do Chrome, exibindo pop-ups e anúncios indesejados? A versão para Windows consegue detectar isso:

Ele remove o software, desativa as extensões, e redefine algumas configurações para o padrão. Dependendo da situação, você terá que reiniciar o computador.

Como é que o Chrome detecta software malicioso? Bem, a versão para Windows possui uma ferramenta desenvolvida em parceria com a ESET, conhecida por seu antivírus. “Agora podemos detectar e remover mais softwares indesejados do que nunca”, diz o Google. A empresa explica, no entanto, que esse recurso não substitui um antivírus completo — confira aqui as melhores opções para Windows.

O Facebook tem uma iniciativa semelhante. Há alguns anos, a rede social passou a recomendar ferramentas de graça da a F-Secure e Trend Micro quando detecta sinais de malware em um perfil — links estranhos ou mensagens com spam, por exemplo.

Com informações: Google.

Relacionados

Relacionados