Escavadeira autônoma quer ajudar humanos em canteiros de obras

Felipe Ventura
Por

Diversas grandes empresas — como Apple, Intel e Uber — vêm investindo em veículos autônomos. Isso inclui carros que dirigem sozinhos, ônibus que levam passageiros sem um motorista, e até caminhões que transportam carga sem um guia humano.

A Built Robotics acredita que a mesma tecnologia autônoma pode ser usada no setor de construção. Esta semana, ela revelou sua escavadeira que retira terra e cria buracos sem um motorista.

Segundo o The Verge, o veículo usa sensores como LIDAR e GPS para “ver” o mundo à sua volta, e também possui sensores especialmente projetados para lidar com as vibrações da escavação. O operador pode programar as coordenadas e o tamanho para o buraco que será escavado, e ver a escavadeira fazer todo o trabalho.

Uma das vantagens nos veículos autônomos é a maior segurança. Nos EUA, foram registradas 924 lesões fatais no setor de construção em 2015. Por lá, 60% das empresas de construção dizem ter dificuldade em encontrar funcionários qualificados.

YouTube video

A Built Robotics arrecadou US$ 15 milhões de investidores para contratar engenheiros e levar seu produto ao mercado. Seus equipamentos estão sendo testados no Dogpatch, bairro no lado leste de San Francisco.

A startup é comandada por Noah Ready-Campbell, ex-funcionário do Google. Ele diz à CNBC que a Built Robotics poderá ganhar dinheiro de várias formas: vendendo kits de sensores para fabricantes de escavadeiras, como Caterpillar e John Deere; adaptando máquinas já existentes para empresas de construção; ou alugando a tecnologia para projetos.

Caterpillar e Deere já têm algumas máquinas autônomas, seja para mineração ou transporte de equipamentos. Mas, assim como Fiat e Toyota estão trabalhando com empresas de tecnologia para criar carros autônomos, essas fabricantes de escavadeiras poderiam fazer o mesmo com a Built Robotics.

Com informações: The Verge, CNBC.

Felipe Ventura

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados

Relacionados