Apps para Android serão obrigados a suportar 64 bits

Finalmente

Paulo Higa
Por

Os processadores mais recentes dos smartphones com Android já suportam a arquitetura de 64 bits, mas parte dos aplicativos ainda é executada em 32 bits. Isso finalmente vai mudar… em agosto de 2019.

O Google anunciou a mudança nesta terça-feira (19), no blog para desenvolvedores de Android. O suporte para 64 bits foi lançado no Android 5.0 Lollipop e, atualmente, mais de 40% dos dispositivos da plataforma são compatíveis com a arquitetura — embora mantenham o suporte para códigos de 32 bits.

Os aplicativos de 32 bits não serão removidos da Play Store, mas o Google adianta que, no futuro, dispositivos com Android poderão perder a compatibilidade com a arquitetura antiga, por isso é bom se preparar. E, naturalmente, a mudança afeta somente aplicativos com código nativo, incluindo os games mais pesados.

Outras mudanças também estão por vir: a partir de agosto de 2018, novos aplicativos deverão ser desenvolvidos com a API do Android Oreo em mente; em novembro, a regra passa a valer para atualizações de softwares já existentes. A exigência será renovada a cada ano; em 2019, é a vez de os desenvolvedores se adaptarem para o Android Paçoca. Ou seja lá qual for o nome.

Isso significa não será mais possível “evitar” os novos recursos do Android. Na API do Android 6.0 Marshmallow, por exemplo, os usuários passaram a ter controle total do que os aplicativos fazem com seus dados pessoais, como contatos ou localização. E, no Oreo, nenhum aplicativo pode acessar contas de usuários sem aprovação explícita.

A exigência de suporte a 64 bits é boa porque pode melhorar o desempenho de certos aplicativos, especialmente os que possuem código nativo. Mas isso bem que poderia ter chegado antes: no iOS, nenhum aplicativo sem suporte a nova arquitetura entra na App Store desde fevereiro de 2015.

Relacionados

Relacionados