Início / Notícias / Internet /

Facebook bloqueou links sobre invasão que afetou 50 milhões de pessoas

Facebook foi hackeado e obrigou 90 milhões de usuários a fazer login de novo; Mark Zuckerberg não se desculpou pelo ataque

Felipe Ventura

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Facebook bloqueou temporariamente um link do jornal britânico The Guardian sobre a falha que atingiu 50 milhões de usuários. Uma notícia da Associated Press sobre o ataque também foi barrada. Ambos se espalharam rápido e o sistema da rede social achou que eram spam; eles já estão liberados. Outros veículos da mídia não foram afetados.

Eu tentei publicar a notícia do Guardian no meu perfil, através da web, mas me deparei com a seguinte mensagem de erro: “Nossos sistemas de segurança detectaram que muitas pessoas estão publicando o mesmo conteúdo, o que poderia indicar spam. Experimente fazer outra publicação”.

Fiz o experimento com links de outros veículos, incluindo New York Times, The Verge, G1 e o próprio Tecnoblog, mas não encontrei problemas. Alguns minutos depois, o link do Guardian foi liberado.

O bloqueio também ocorreu no iPhone e em outros países. Em um caso, o Facebook até removeu um post com o link, dizendo que “ele parece spam para nós”.

Uma notícia da AP também foi afetada:

Mark Zuckerberg falou sobre invasão mas não se desculpou

Seria fácil acusar a rede social de censurar a notícia, mas vale lembrar que quem confirmou a invasão foi o próprio Facebook. A notícia do Guardian é baseada no comunicado do Facebook.

Além disso, Mark Zuckerberg publicou um post em seu perfil repetindo os principais pontos do comunicado: a falha de segurança foi corrigida; os tokens de acesso de 90 milhões de pessoas foram invalidados, exigindo novo login; e o recurso vulnerável (“Ver como”) foi temporariamente desativado.

Há, no entanto, uma diferença notável: Zuckerberg não pediu desculpas — você não encontrará a palavra “sorry” no post dele. Enquanto isso, o vice-presidente Guy Rosen escreve no comunicado: “a privacidade e a segurança das pessoas são extremamente importantes, e pedimos desculpa por isso ter acontecido”.

O Facebook descobriu na última terça-feira (25) que foi invadido. Hackers usaram uma vulnerabilidade no recurso “Ver como”, que permite saber como seu perfil será exibido para outras pessoas. A empresa ainda não sabe se houve vazamento de dados.

50 milhões de contas foram afetadas, e seus tokens de acesso foram revogados. Por precaução, a rede social também invalidou os tokens de mais 40 milhões de pessoas, atingindo um total de 90 milhões de usuários. Todos precisaram fazer login novamente em seus dispositivos.