Facebook remove 42 perfis de agência envolvida no “mensalinho” do Twitter

Facebook derrubou páginas da agência Follow, envolvida em esquema que pagava para elogiar candidatos do PT e PR no Twitter

Felipe Ventura
Por

O Facebook removeu 11 páginas e 42 perfis por distribuir conteúdo político que simula ser orgânico, violando políticas de autenticidade. Eles eram associados à agência de marketing digital Follow, que pertence ao deputado federal Miguel Corrêa (PT-MG). A empresa é investigada pelo Ministério Público por recrutar usuários do Twitter para elogiar candidatos petistas.

Em comunicado, o Facebook diz que tomou medidas para remover conteúdos associados à Follow. Isso inclui as páginas Follow Fórmula, Ponto Gênero e Carioca Bolado. O perfil pessoal de Corrêa, que concorre a uma vaga no Senado, também foi retirado do ar.

Os Padrões da Comunidade do Facebook proíbem contas que operam de maneira coordenada “para enganar as pessoas sobre a origem de seu conteúdo ou para permitir outras violações de nossas políticas”, explica a empresa.

Em agosto, foi revelado um esquema no Twitter que prometia R$ 500 mensais por mensagens positivas sobre candidatos do PT. Tudo era coordenado pela agência de publicidade LaJoy; ela foi subcontratada pela Be Connected, empresa parceira de Corrêa, e exigia o uso de dois aplicativos da Follow.

Segundo O Globo, os aplicativos Follow Now e Brasil Feliz de Novo foram usados para promover ao menos 12 candidatos do PT e PR. Isso inclui o petista Wellington Dias, candidato à reeleição como governador do Piauí. O caso ficou conhecido como “Piauígate” ou “mensalinho”.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) proibiu propaganda paga nas redes sociais para a campanha deste ano, sob multa de até R$ 30 mil. A única exceção fica para impulsionamento “identificado de forma inequívoca como tal”.

Em comunicado ao Estadão, Corrêa admite que a página da Follow no Facebook foi derrubada, mas diz que desconhece as outras páginas e perfis mencionados pela rede social.

Com informações: Facebook, Estadão, UOL.

Felipe Ventura

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Relacionados

Relacionados