Início / Notícias / Negócios /

Alphabet levará divisão de entregas por drones para a Finlândia em 2019

A Wing era subordinada do Google até julho e, agora, testará seu serviço na capital finlandesa Helsinque

Victor Hugo Silva

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A Alphabet, controladora formal do Google, levará sua divisão de entregas por drones a mais um país nos próximos meses. A partir da primavera de 2019, a Wing, como é conhecida, passará a ser testada em parte da Finlândia.

O serviço será gratuito em sua fase de testes e só cobrará quando for oficialmente lançado. Nesta etapa, o objetivo da “irmã” do Google é aprimorar seu serviço para oferecer entregar rápidas por preços baixos.

Wing é a divisão de entrega por drones da Alphabet

Por enquanto, o aplicativo da Wing aceitará somente a entrega de itens com até 1,5 kg para locais a, no máximo, dez quilômetros de distância. O transporte será feito com drones que pesam 5 kg e têm um metro de comprimento.

Eles já foram usados em um teste realizado na Austrália. Por lá, os veículos transportaram de burritos a remédios.

Apesar da experiência, a Wing não definiu que tipo de produto será entregue em seu novo experimento. Os usuários podem usar o site da companhia para enviar sugestões. Entre os itens em destaque, estão refeições e fraldas.

A empresa afirma estar ansiosa para buscar a melhor maneira de implementar seus serviço. “Com base no que sabemos sobre o clima de inverno na Finlândia, estamos bastante confiantes de que, se nossos drones puderem entregar aqui, eles podem entregar em qualquer lugar”.

Em seu site, a Wing também lembra que a entrega por drones ajuda a reduzir a emissão de gases do efeito estufa na Finlândia. Atualmente, 12% da emissão total do país vem do transporte por rodovias.

A Wing se tornou independente apenas em julho deste ano. Até então, ela fazia parte do projeto X, do Google. Com a mudança, a empresa deixa de estar subordinada e ganha espaço para competir com serviços como o Amazon Prime Air, que está em operação limitada no Reino Unido.

Com informações: The Next Web, The Verge.