Início / Notícias / Negócios /

Netflix testa assinatura mais cara com pagamento semanal

Netflix faz teste na Áustria cobrando assinatura por semana, não por mês, com preços proporcionalmente mais caros

Por

A Netflix está testando uma nova assinatura cobrada semanalmente, não por mês, com alguns usuários da Áustria. Isso pode ser útil para quem quer usar o serviço por um prazo curto — para fazer maratona de apenas uma série, por exemplo. No entanto, o valor cobrado por quatro semanas é mais caro que o preço mensal.

A opção semanal, descoberta pelo site alemão Caschys Blog, é oferecida nos três planos da Netflix: básico (uma tela e 480p), padrão (duas telas e HD) e premium (quatro telas e 4K). Eles custam € 2,49, € 2,99 e € 3,99, respectivamente. Multiplicados por quatro semanas, temos os valores de € 9,99, € 11,99 e € 15,99.

Enquanto isso, os planos mensais custam € 7,99 (básico), € 10,99 (padrão) e € 13,99 (premium) na Áustria. Eles são proporcionalmente mais baratos, mas não aparecem como uma opção para novos assinantes.

A Netflix confirma ao Chip Online que está testando “diferentes opções de pagamento para entender melhor quais delas os membros consideram úteis”. O objetivo é tornar o serviço “mais agradável e acessível às pessoas em todo o mundo”, diz a empresa, sugerindo que vai experimentar planos semanais em outros países.

Prós e contras do plano semanal da Netflix

Existem algumas pessoas que não veem muito sentido em manter uma assinatura da Netflix — é o meu caso. Eu assisto algumas séries do catálogo, como Bojack Horseman e The Good Place, mas não quero pagar todo mês para assisti-las: basta esperar até sair uma nova temporada, ou até haver episódios o bastante para maratonar (quando eles são liberados semanalmente).

Um plano semanal seria uma boa ideia para quem é pão-duro como eu. Basta pagar por uma semana de Netflix, em vez de um mês inteiro, e economizar alguns reais evitando a pirataria. No entanto, o teste na Áustria coloca o plano semanal como padrão para novos usuários, e ele é proporcionalmente mais caro que a assinatura mensal. Isso pode representar um aumento de preço aplicado de outra forma.

Este ano, a Netflix testou no Brasil um plano Ultra que oferecia 4K com HDR e custava até R$ 53,90. Havia também outro cenário em que essa modalidade saía por R$ 45,90 mensais, mas reduzia o Premium a apenas duas telas simultâneas.

Enquanto isso, na Malásia, a Netflix testa uma assinatura mais barata: ela custa US$ 4 mensais, mas só permite o acesso via smartphone ou tablet em até 480p. Não há suporte nativo a streaming para TV, computador ou outros dispositivos.

Com informações: BGR.