Huawei revê meta de superar Samsung, mas nega reduzir produção de celulares

Huawei talvez não alcance meta de superar Samsung até 2020; empresa nega reduzir pedidos de novos celulares para Foxconn

Felipe Ventura
Por

O bloqueio dos EUA à Huawei entrou em sua terceira semana, e a empresa vem lidando com as consequências das sanções: ela sugere que talvez não conseguirá atingir a meta de superar a Samsung e se tornar a maior fabricante global de celulares até 2020. Além disso, rumores dizem que ela reduziu os pedidos de novos smartphones para a Foxconn; a fabricante nega.

Huawei P30 Pro

No evento de lançamento do Honor 20 na China, surgiu a pergunta: a Huawei ainda conseguirá ultrapassar a Samsung e se tornar a maior fornecedora de smartphones do mundo até 2020? “Como surgiu essa nova situação, é muito cedo para dizer se seremos capazes de alcançar o objetivo”, disse Zhao Ming, presidente da submarca Honor, segundo o South China Morning Post.

Além disso, fontes revelam ao SCMP que a Foxconn interrompeu várias linhas de produção de celulares Huawei nos últimos dias, porque a empresa reduziu os pedidos de novos smartphones.

Ainda não está claro se isso é temporário ou um corte de longo prazo; a Foxconn — que também atende Apple e Xiaomi — tem flexibilidade para aumentar ou reduzir a fabricação de celulares de acordo com a demanda. Zhao disse que não estava a par disso, apenas que a Huawei está observando de perto a situação do bloqueio comercial realizado pelos EUA.

A Huawei nega essa informação do SCMP: “nossos níveis de produção global estão normais, sem ajustes notáveis em qualquer direção”, diz a empresa em comunicado ao Android Authority.

Huawei cresceu 45% em meio à queda da Samsung e Apple

Richard Yu, chefe da divisão de eletrônicos de consumo, afirmou anteriormente que a Huawei planejava conquistar 50% do mercado de smartphones na China até o fim de 2019. Havia também a meta de ultrapassar a Samsung no mercado global até 2020.

De acordo com a consultoria Gartner, as vendas globais de smartphones caíram 2,7% no primeiro trimestre de 2019 se comparadas ao mesmo período do ano anterior, puxadas pelo desempenho fraco da Apple (queda de 9%) e Samsung (queda de 18%). Enquanto isso, a Huawei cresceu 45% no mesmo período.

gartner vendas celulares primeiro trimestre 2019

No primeiro trimestre, a Samsung representava 19,2% das vendas globais de smartphones, contra 15,7% da Huawei e 11,9% da Apple. As sanções dos EUA vieram no segundo trimestre; ou seja, seu efeito ainda não está contabilizado nesses números.

O analista Ming-Chi Kuo estima que a Samsung será a “principal beneficiária” do bloqueio americano à Huawei: as vendas da coreana podem aumentar de 290 milhões para 300-320 milhões em 2019. Em nota publicada no 9to5Google, ele alerta: “mesmo se os EUA cancelarem a proibição, consumidores podem não voltar a comprar produtos da Huawei”.

Atualizado em 04/06 com comunicado da Huawei.

Relacionados

Relacionados