Adobe cria IA para detectar se foto foi editada no Photoshop

IA criada apenas identifica imagens editadas por uma ferramenta do Photoshop, mas é um belo início

André Fogaça
Por

A Adobe criou, junto da Universidade da Califórnia, uma ferramenta que utiliza inteligência artificial para entender se uma imagem recebeu algum retoque feito pelo Photoshop. Além de alertar alterações, a IA pode até mesmo sugerir como reverter o que foi feito e assim voltar a imagem para o mais próximo possível do que estava lá.

Foto exibe detalhes de edição deita no Photoshop

O objetivo da solução criada não é apenas para identificar alterações que deixam pessoas mais magras, ou que removem espinhas. De acordo com a publicação no blog da Adobe, o grupo de pesquisadores levou em conta os efeitos éticos do uso de alteração de imagens, como na criação de fotos falsas e que são praticamente idênticas ao rosto da pessoa que supostamente está na imagem.

YouTube video

A ideia é bastante tentadora, mas ainda está em estágio inicial de pesquisa e limitado de uso. Há dois limitadores: o primeiro é que a ferramenta trabalha apenas com imagens alteradas com o Photoshop, ignorando qualquer outra ferramenta de edição disponível no mercado. O segundo está dentro do próprio programa da Adobe, já que a IA apenas detecta alterações feitas com o “Face Aware Liquify”.

Este efeito, que está dentro do Photoshop, permite alterar detalhes de um rosto e ainda assim exibe um resultado bastante convincente – é possível, por exemplo, aumentar um sorriso ou trocar o olhar da pessoa.

O treinamento da IA foi feito com base em vários retratos onde o original foi alterado em poucos pontos. Os pesquisadores fizeram isso muitas vezes e utilizaram até mesmo um humano para ajudar.

O resultado ficou em 99% de acerto quando o software foi utilizado para identificar qual foto havia recebido a edição. Quando o resultado foi comparado ao que humanos conseguiram, a diferença foi bastante gritante: as pessoas identificaram 53% das fotos alteradas.

No final a ferramenta também identificou onde e como as alterações foram feitas, sugerindo mudanças para voltar ao que seria o rosto original. A publicação diz apenas que o resultado das sugestões impressionou os pesquisadores – o que já é suficientemente importante, mesmo sem números.

A parte mais curiosa é que o código-fonte para o que foi feito será disponibilizado e poderá ser utilizado por qualquer um. Se você está interessado, é só clicar aqui e criar sua própria solução com base nele.

Com informações: Adobe.

Relacionados

Relacionados