Notícias Brasil

Metrô de SP e CPTM testam pagamento de tarifa com QR Code

Teste com QR Code acontece em sete estações e deverá durar 45 dias

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Nesta terça-feira (3), o Governo do Estado de São Paulo começou a testar o pagamento de tarifas via QR Code em algumas estações do Metrô e CPTM. A iniciativa faz parte do plano de modernização do sistema de pagamentos de ambas as companhias.

Trem da CPTM

A Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM) é a responsável pelo projeto. A ideia é oferecer mais praticidade ao usuário e, ao mesmo tempo, reduzir os custos relacionados às vendas e validação de bilhetes.

Isso porque o QR Code pode ser impresso no momento da compra e, assim, a bilheteria não fica dependente da disponibilidade dos tradicionais bilhetes com tarja magnética, que ainda trazem a desvantagem de ter custo de produção maior.

Além disso, o QR Code também pode ser disponibilizado em aplicativos. Com isso, o usuário pode fazer a compra de bilhetes em seu próprio celular e evitar as filas das bilheterias.

Os testes vão durar 45 dias. Sete estações estão participando do experimento:

  • CPTM: Autódromo (Linha 9 — Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10 —Turquesa), Dom Bosco (Linha 11 — Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13 — Jade)
  • Metrô: São Judas (Linha 1 — Azul), Paraíso (linha 1— Azul e 2 — Verde) e Pedro II (Linha 3 — Vermelha)

Cada estação conta com dois bloqueios (catracas) com validador para QR Code. Por ora, os bilhetes são apenas unitários e seguem a tarifa vigente (R$ 4,30). Eles podem ser comprados com cartão de débito e impressos nas máquinas de autoatendimento disponíveis nas estações.

Os bilhetes também são vendidos nas bilheterias com pagamento em dinheiro. Porém, nos 15 primeiros dias de testes, essa opção só estará disponível das 9:00 às 16:00. Posteriormente, as vendas nas bilheterias serão realizadas durante todo o horário da operação comercial.

É possível ainda fazer a compra com cartão de crédito por meio do aplicativo VouD, disponível para Android e iOS. O app exibe o QR Code na tela do smartphone, portanto, a impressão do bilhete não é necessária.

App Voud com QR Code (imagem: Metrô)

Como essa é uma fase de teste, os bilhetes com QR Code são válidos até 18 de outubro (2019). No entanto, a STM recomenda que os bilhetes em papel sejam usados até três dias depois da compra para evitar que a impressão do código seja danificada.

A implementação definitiva dos bilhetes com QR Code dependerá dos resultados do teste. A ideia não é inédita: a CPTM chegou a testar bilhetes com QR Code em 2016, mas o projeto acabou não avançando.

Emerson Alecrim

Autor / repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado InfoWester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque