Início / Notícias / Jogos /

Nintendo Switch Lite vende abaixo do esperado no Japão e ações caem

Expectativa era de 300 mil unidades vendidas na estreia, mas Switch Lite registrou pouco mais da metade disso

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Mais barato e totalmente voltado à portabilidade, o Nintendo Switch Lite foi lançado oficialmente no último dia 20. Mas não dá para dizer que essa foi uma estreia magnífica: as vendas do console no Japão durante os primeiros três dias após o lançamento ficaram abaixo do esperado e fizeram o valor das ações da Nintendo cair.

Na verdade, as estimativas começaram com uma precipitação. Com base em dados da Media Create, a Bloomberg divulgou na terça-feira (24) que, no período entre 20 e 22 de setembro, a Nintendo conseguiu vender 114.192 unidades do Switch Lite. Posteriormente, esses dados foram alterados para 160.768 unidades.

A estimativa revisada está mais próxima do número apontado pela revista japonesa Famitsu: 178 mil unidades vendidas no período de estreia.

Nintendo Switch Lite

Apesar da revisão da Media Create e da estimativa mais otimista da Famitsu, a situação não melhorou muito. Isso porque analistas do Citigroup e JPMorgan previam que o console portátil venderia pelo menos 300 mil unidades em seu lançamento. O efeito disso é que as ações da Nintendo caíram 4,3% na quarta-feira (25).

Mas não há motivo para pânico, pelo menos não por ora. Enquanto alguns analistas de mercado temem que o Nintendo Switch Lite não atraia tantos jogadores quanto o esperado, outros lembram que as festas de fim de ano devem alavancar as vendas.

Além disso, se olharmos para o ano todo, veremos que as ações da Nintendo se valorizaram em cerca de 40%. Há ainda expectativa de que o Switch Lite tenha bom desempenho nas vendas globais.

O console traz tela HD de 5,5 polegadas, bateria com autonomia de até 7 horas e Joy-Cons não removíveis. Nos Estados Unidos, o preço oficial é de US$ 199,99.

Saiba mais sobre as diferenças entre o Nintendo Switch e o Nintendo Switch Lite aqui.

Com informações: Bloomberg, Financial Times.