Notícias Negócios

Facebook Libra perde parceiros, mas diz ter centenas de interessados

Segundo a Associação Libra, ao menos 180 empresas atendem os requisitos para se tornarem membros

Victor Hugo Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Dias após perder alguns de seus membros mais importantes, a Associação Libra realizou sua primeira reunião oficial na segunda-feira (15) em Genebra, na Suíça. O grupo, criado para definir os padrões da criptomoeda do Facebook, diz que outras centenas de empresas querem se tornar parceiras.

Facebook Libra

Em nota, a organização apontou para um entusiasmo criado desde seu lançamento. “A Associação Libra confirmou que mais mais de 1.500 entidades manifestaram interesse em participar do esforço do projeto Libra, e aproximadamente 180 entidades atenderam aos critérios preliminares de associação”.

Para se juntarem à Associação Libra, as empresas precisam atender aos menos a dois dos três seguintes requisitos: ter US$ 1 bilhão em valor de mercado (ou US$ 500 milhões em saldos de clientes), alcançar 20 milhões de pessoas por ano e estar entre as 100 maiores empresas de seu setor.

As regras são um pouco diferentes para empresas de criptomoedas, organizações sem fins lucrativos e instituições acadêmicas. Com o interesse, o Facebook deve alcançar sua meta de 100 parceiros antes do lançamento do Libra, previsto para 2020.

O suposto interesse de outras empresas no Libra foi o principal anúncio na reunião, que não apresentou novidades sobre como o grupo vai lidar com a resistência de reguladores. A associação também revelou os cinco integrantes de seu conselho administrativo.

Um deles é David Marcus, chefe da Calibra, subsidiária do Facebook que levará uma carteira digital da criptomoeda ao WhatsApp e ao Messenger. Entre 2012 e 2014, o executivo foi presidente do PayPal, o primeiro a deixar a Associação Libra.

“O PayPal tomou a decisão de renunciar à participação na Associação Libra neste momento e continuar se concentrando no avanço de nossas missões e prioridades de negócio existentes na medida em que nos esforçamos para democratizar o acesso a serviços financeiros para populações carentes”, afirmou a empresa à Bloomberg no início de outubro.

Na semana passada, o grupo também perdeu o apoio de Visa, Mastercard, eBay, Stripe, Mercado Pago e Booking Holdings (da mesma proprietária do comparador de preços de passagens aéreas Kayak). Em nota, a Visa apontou explicitamente suas preocupações com questões regulatórias.

“A Visa decidiu não ingressar na Associação Libra no momento”, afirmou a empresa. “Continuaremos a avaliar e nossa decisão final será determinada por vários fatores, incluindo a habilidade da Associação de satisfazer plenamente todas as expectativas regulatórias necessárias”.

Com a reunião, a Associação Libra oficializou a participação dos seguintes membros:

  • Pagamentos: PayU (Naspers)
  • Tecnologia e marketplace: Facebook/Calibra, Farfetch, Lyft, Spotify, Uber Technologies
  • Telecomunicações: Iliad, Vodafone Group
  • Blockchain: Anchorage, Bison Trails, Coinbase, Inc., Xapo Holdings Limited
  • Capital de risco (venture capital): Andreessen Horowitz, Breakthrough Initiatives, Ribbit Capital, Thrive Capital, Union Square Ventures
  • Organizações sem fins lucrativos e outras: Creative Destruction Lab, Kiva, Mercy Corps, Women’s World Banking

Com informações: TechCrunch, Ars Technica.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque