Netflix ganha menos assinantes que o esperado nos EUA

No terceiro trimestre, a Netflix esperava conseguir 800 mil novos usuários nos EUA, mas parou em 520 mil

Victor Hugo Silva
Por

A Netflix divulgou nesta quinta-feira (17) seu balanço para o terceiro trimestre de 2019. Ele indica que a empresa ganhou quase 6,8 milhões de assinantes em todo o mundo no período, mas não atingiu sua projeção, de 7 milhões.

Stranger Things 3

A meta não foi alcançada pelo crescimento abaixo do esperado nos Estados Unidos. A Netflix acreditava ser possível conseguir 800 mil novos assinantes no país, mas parou em 520 mil. No restante do mundo, a expectativa era de 6 milhões de novos assinantes, mas o resultado chegou a 6,26 milhões.

O acumulado para os nove primeiros meses do ano indica um ritmo menor de crescimento nos EUA em relação a 2018. Entre janeiro e setembro, a empresa ganhou 2,1 milhões de assinantes no país, enquanto, no mesmo período do ano passado, foram 4,1 milhões de usuários novos.

A Netflix sugere que a desaceleração ocorre pelo reajuste no preço do serviço. “Desde o nosso aumento de preço nos EUA no início deste ano, a retenção ainda não retornou totalmente em uma base sustentada aos níveis pré-mudança de preço, o que levou a um crescimento mais lento das assinaturas nos EUA”, afirmou a empresa.

Com os últimos resultados, a Netflix chega a 158 milhões de assinantes em todo o mundo. A companhia espera conseguir 7,6 milhões de novos usuários entre outubro e dezembro, o que a faria terminar 2019 com 26,7 milhões de assinantes a mais.

No terceiro trimestre, a receita da Netflix cresceu 31% e ficou em US$ 5,24 bilhões (R$ 21,6 bilhões), resultado próximo da projeção de US$ 5,25 bilhões. O lucro operacional para o período ficou em US$ 980 milhões (R$ 4 bilhões), acima da projeção de US$ 833 milhões.

Em comunicado, a empresa tratou da preocupação com a chamada “guerra do streaming”, prevista por conta de lançamentos como o Disney+ e Apple TV+. A empresa preferiu tranquilizar os investidores e lembrou que já compete com serviços como Amazon, YouTube e Hulu há mais de uma década.

“A chegada de serviços como Disney +, Apple TV +, HBO Max e Peacock aumenta a concorrência, mas somos todos pequenos em comparação com a TV linear”, diz a Netflix. “Embora os novos concorrentes tenham ótimos títulos (especialmente títulos de catálogo), nenhum tem a variedade, diversidade e qualidade da nova programação original que estamos produzindo em todo o mundo”.

A empresa também destacou alguns dados de audiência de suas produções. A terceira temporada de Stranger Things, por exemplo, se tornou a mais popular da série após ser assistida por 64 milhões de usuários nas quatro primeiras semanas após seu lançamento

A série Inacreditável, por sua vez, foi assistida por 32 milhões de usuários, enquanto o filme Crush à Altura foi assistido por 41 milhões de usuários. A série Sintonia não teve números revelados, mas se tornou a segunda mais assistida no Brasil em uma temporada inaugural.

Com informações: Netflix, TechCrunch, Engadget.

Relacionados

Relacionados