Notícias Negócios

Netflix não terá anúncios para não concorrer com Google e Facebook

Para o CEO da Netflix, Reed Hastings, a empresa estaria em desvantagem contra gigantes da publicidade na internet

Victor Hugo Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Netflix não passará a exibir anúncios em sua plataforma para não concorrer com gigantes neste setor, como Google, Facebook e Amazon. A declaração foi dada pelo CEO da companhia, Reed Hastings, em conferência para tratar do balanço do quarto trimestre de 2019.

Netflix Originals / Unsplash

O executivo afirmou que conseguir espaço entre as três empresas é algo desafiador e, por isso, não há “dinheiro fácil” nesse negócio. Para ele, a Netflix deve seguir com um “modelo de negócio muito mais simples, focado apenas no streaming e na satisfação do cliente”.

“Google, Facebook e Amazon são tremendamente poderosos na publicidade online porque integram muitos dados de muitas fontes”, afirmou, durante a conferência. “Então, acho que esses três terão a maior parte do negócio de publicidade online”.

Hastings também argumentou que a decisão de não exibir anúncios permite que a empresa fique longe de polêmicas sobre coleta de dados de usuários, como acontece frequentemente com o Facebook. “Não coletamos nada. Estamos realmente focados em fazer nossos usuários felizes”, continuou.

De fato, a coleta de dados pela Netflix não se compara à realizada por Google, Facebook e Amazon. No entanto, a plataforma obtém informações sobre o que os usuários assistem para definir produções que serão renovadas ou canceladas.

“Acreditamos que, com o nosso modelo, teremos receita maior, lucro maior e valor de mercado maior porque não temos a exposição a algo em que estamos estrategicamente em desvantagem — que é a publicidade online contra esses três gigantes”, explicou Hastings.

A demanda de investidores por anúncios, possivelmente em um plano gratuito, tem o objetivo de elevar a receita da Netflix. A proposta é discutida há muito tempo e esta não é a primeira vez em que ela é descartada.

No segundo trimestre de 2019, a companhia afirmou em carta a investidores que não passaria a exibir publicidade. “Ao ler especulações de que estamos começando a vender publicidade, tenha certeza de que isso é falso”, resumiu o comunicado.

Com informações: TechCrunch.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque