Notícias Brasil

Dataprev: servidores fazem greve em vários estados contra privatização

Funcionários também protestam contra fechamento de filiais da Dataprev em 20 estados

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O processo de privatização da Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social) vem gerando cada vez mais reações: trabalhadores da estatal iniciaram ou iniciarão greve em vários estados para protestar contra a decisão. É o caso da filial de São Paulo, que paralisará as suas atividades a partir de quinta-feira (30).

Dataprev

A Dataprev foi colocada oficialmente em processo de privatização no dia 16 pelo presidente Jair Bolsonaro. No dia 22, o Ministério da Economia autorizou o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) a coordenar a venda da participação acionária da União na estatal.

Como consequência, trabalhadores da Dataprev vêm se manifestando em várias partes do país, até porque, além da desestatização, o governo trabalha no fechamento das filiais da empresa em 20 estados, processo que deve culminar na demissão de 493 dos cerca de 3.500 funcionários.

Dataprev

As filiais da Dataprev em Brasília, Paraíba, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Sergipe e Rio de Janeiro já estão em greve. Como já dito, os funcionários da unidade de São Paulo irão aderir à paralisação a partir da próxima quinta-feira.

“A decisão da adesão à greve ocorreu após inúmeras denúncias de demissões em massa, precarização, assédio moral e coação em todo o Brasil”, diz o Sindicato dos Profissionais em Processamento de Dados e TI do Estado de São Paulo.

O sindicato também atribui ao “desmonte da estatal” o atraso nos pedidos e pagamentos de benefícios pelo INSS. Nesse ponto, vale destacar que, entre outras tarefas, a Dataprev é responsável por processar o pagamento mensal de 35 milhões de benefícios previdenciários.

Em nota, a Dataprev diz que “entende e respeita as mobilizações sindicais e o direito de greve dos trabalhadores”, mas argumenta que o fechamento das 20 filiais “não afeta, de nenhuma maneira e sob nenhum aspecto, o trabalho de processamento dos dados previdenciários”.

No mesmo comunicado, a Dataprev afirma que o processamento das requisições do INSS é feito nas unidades de desenvolvimento da empresa no Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo — nenhuma delas será fechada.

Com informações: Agora.

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado Infowester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque