Casos de phishing crescem mais de 200% em três anos, diz Google

Ameaças de phishing triplicaram entre 2017 e 2020, segundo o Google. Número já supera ataques de malware via sites

Bruno Gall De Blasi
Por

As ameaças de phishing mais que triplicaram nos últimos três anos. Somente entre 2017 e 2020, quase 2 milhões de sites falsos estiveram no ar para roubar logins, senhas, cartões de crédito e demais informações de usuários na internet. Os números são do serviço de Navegação Segura do Google.

AbsolutVision / phishing / Pixabay / tentativa de phishing

O phishing é um golpe que consiste em criar apps ou sites falsos com endereço, nome e visual similares à página de bancos, lojas e afins, para enganar as vítimas, e são geralmente enviados por email. A partir disso, o criminoso consegue roubar informações pessoais, como senhas, CPF, e até mesmo dados bancários e números de cartões de crédito.

Esse tipo de fraude vem se popularizando nos últimos, conforme demonstra o Google. Ao todo, os ataques de phishing tiveram um aumento de 578,7 mil para 1,8 milhão entre janeiro de 2017 e 2020, conforme observado pelo Google. Crescimento de 211%.

O golpe já supera a quantidade de páginas de malware. Ainda de acordo com a ferramenta, esta tentativa de ataque via sites sofreu uma redução de 515,7 mil para 23,5 mil no mesmo período. Queda de 95,4%.

O Google também dá dicas para não cair em golpes de phishing. Segundo o buscador, é importante sempre desconfiar do remetente de emails, ofertas “boas demais” e sites estranhos – principalmente sem HTTPS.

Relacionados

Relacionados