Notícias Internet

Netflix e YouTube reduzem qualidade de streaming na Europa

As empresas atenderam ao pedido da União Europeia para evitar sobrecarga da rede durante pandemia

Victor Hugo Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Netflix e o YouTube decidiram reduzir a qualidade de vídeos reproduzidos por usuários que estão na União Europeia. A medida foi tomada para evitar a sobrecarga nas redes de banda larga à medida em que muitas pessoas ficam em casa por conta da pandemia de coronavírus.

filmes sobre tecnologia na netflix | thibault-penin-netflix-unsplash

Segundo a Reuters, a Netflix informou que reduzirá o seu uso da rede em cerca de 25% para contribuir com um funcionamento adequado da internet. A decisão valerá por pelo menos 30 dias para todos os seus usuários na Europa.

O YouTube afirmou que também reduzirá a qualidade de vídeos para compensar o aumento no consumo com mais pessoas trabalhando de casa. “Estamos comprometidos em mudar temporariamente todo o tráfego na União Europeia para a definição padrão”, afirma a empresa à Reuters.

A plataforma anunciou ainda a criação de uma área com informações sobre a COVID-19, doença causada pelo coronavírus. Ela é exibida em 16 países, e deve ser levada para outros lugares em breve. “Queremos que todos tenham acesso a conteúdo confiável durante ese período difícil”, explica a empresa.

Ao reduzirem a qualidade dos vídeos, as empresas atendem ao pedido da União Europeia. O comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton, conversou sobre o assunto com CEOs da Netflix, Reed Hastings, da Alphabet, Sundar Pichai, e do YouTube, Susan Wojcicki.

Breton pediu que as empresas deem prioridade à reprodução de vídeos com qualidade padrão em vez de alta definição, o que acontecerá a partir de agora. E, apesar de serem as plataformas de streaming mais conhecidas, Netflix e YouTube não são as únicas a serem notificadas por governos.

O Disney+, serviço de streaming que ainda não está disponível em todos o mundo, recebeu pedidos do governo da França para adiar seu lançamento no país. As autoridades temem o uso fora do comum da plataforma, que reúne muito conteúdo infantil, enquanto as aulas estão suspensas.

Com informações: Mashable, Engadget.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque