YouTube transmite vídeos em 480p por padrão no mundo todo

YouTube tenta evitar congestionamentos na internet durante pandemia do coronavírus (COVID-19); HD e 4K continuam disponíveis

Felipe Ventura
Por

O YouTube está expandindo uma medida adotada inicialmente na Europa: os vídeos em todo o mundo serão carregados em 480p por padrão, com o objetivo de evitar congestionamentos na internet durante a pandemia do coronavírus (COVID-19). As resoluções HD e 4K continuarão disponíveis. O serviço, que pertence ao Google, vem gerando quase o dobro de tráfego que a Netflix nas últimas semanas.

YouTube / Christian Wiediger / Unsplash

Em comunicado à Bloomberg, o YouTube explica que os vídeos serão carregados em definição padrão (480p) de forma automática, em vez de alta definição (HD, Full-HD, 4K). A mudança começa nesta terça-feira (24) e será aplicada ao longo dos próximos dias em todos os países; ela valerá por um mês, até o final de abril.

As resoluções mais altas continuarão disponíveis, mas o usuário terá que ativá-las manualmente. Até então, o YouTube mudava sozinho para 720p, 1080p ou uma qualidade mais alta dependendo da velocidade da conexão.

“Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com governos e operadores de rede em todo o mundo para fazer nossa parte para minimizar o estresse no sistema durante essa situação sem precedentes”, afirma o Google em comunicado.

YouTube supera Netflix em tráfego de internet

De acordo com a Sandvine, empresa de análise de redes, o YouTube ultrapassou a Netflix em volume global de tráfego de internet nas últimas semanas. Normalmente, o serviço de streaming fica à frente.

O que aconteceu? Cam Cullen, da Sandvine, nota que mais pessoas vêm usando o YouTube em uma conexão doméstica: este serviço do Google normalmente lidera o consumo de internet móvel, mas agora as pessoas estão em casa e os vídeos podem carregar em resoluções mais altas, consumindo mais dados.

Netflix, Facebook, Instagram, Amazon Prime Video, Disney+ e Apple TV+ reduziram o bitrate de streaming na Europa após pedidos do governo, com o objetivo de evitar sobrecarga na internet da região. No Brasil, a Netflix reduziu a taxa de bits nas transmissões, mas manteve as resoluções Full-HD e 4K disponíveis aos clientes; enquanto isso, o Globoplay limita o streaming a HD (720p).