Início / Notícias / Negócios /

Kickstarter planeja demitir alguns funcionários em meio à crise

Plataforma de financiamento coletivo diz ter notado queda de 35% no número de projetos em andamento

André Fogaça

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Aziz Hasan, CEO do Kickstarter, enviou uma nota interna aos funcionários da plataforma de crowdfunding com um alerta dizendo que poderá demitir parte de sua força de trabalho. O motivo das demissões está no menor número de projetos que estão aparecendo no site, que aconteceu graças ao surto de coronavírus e a crise financeira que ele gerou.

kickstarter

O executivo diz que mesmo com um bom número de projetos em andamento dentro da plataforma de financiamento coletivo, o total deles diminuiu consideravelmente nas últimas semanas e o motivo da debandada é a pandemia de COVID-19. A queda é de 35% quando comparado o mesmo período do ano passado e o dinheiro que faz a empresa operar está em parte do que circula em cada projeto.

O Kickstarter conta atualmente com 140 funcionários e Hasan diz que todo o lucro do ano passado, US$ 1,27 milhões já com impostos deduzidos do montante, foi utilizado em reinvestimentos dentro da própria organização nos quatro primeiros meses deste ano.

Algumas medidas de corte de gastos estão em planejamento e serão tomadas, como não preencher automaticamente postos de trabalho onde o funcionário foi demitido e cortes em salários de cargos mais elevados, inclusive o do CEO.

O diretor executivo também diz que está conversando com o sindicato que de 84 dos funcionários, o que representa 60% do quadro de colaboradores. O assunto é a possível demissão de alguns nomes para ajudar no corte de gastos da empresa, mas ainda não existe um número exato de quantos poderão ser afastados.

Com informações: The Verge.