Notícias Aplicativos e Software

Google Meet ganha 3 milhões de usuários novos por dia em meio à COVID-19

Novos recursos e não custar nenhum centavo extra para todas as contas G Suite até setembro podem ter ajudado neste crescimento

André Fogaça
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O Google Meet, sucessor do Hangouts Meet e concorrente de soluções como Microsoft Teams e o Zoom, está recebendo 3 milhões de novos usuários por dia. O crescimento está vinculado com ações que o gigante do software tomou para deixar a ferramenta mais popular, especialmente durante o período de pandemia de COVID-19.

Google Meet

Desde janeiro deste ano, quando a pandemia ainda não estava declarada e as pessoas ainda trabalhavam fora de casa, o Google Meet já registrou um aumento de trinta vezes no número de usuários. São mais de 100 milhões de pessoas que estão em alguma reunião todos os dias. Agora são três milhões de novos usuários por dia, contra dois milhões diários na primeira quinzena de abril.

Os motivos do crescimento podem ser listados em duas ações, com uma terceira que vem perdendo força recentemente. O primeiro é que o Google Meet passou a ser oferecido sem qualquer custo extra para qualquer conta G Suite, que custa a partir de R$ 24,30. Agora ele também foi liberado para qualquer pessoa com uma conta Google, com reuniões para até 100 pessoas e por até 60 minutos de papo.

O segundo está na lista de recursos que foram adicionados ou prometidos recentemente e que aproximam o Meet de seus concorrentes, como a exibição de diversas pessoas ao mesmo tempo em uma galeria de participantes, supressão de barulho externo como toques no teclado, indo até para o uso de inteligência artificial para melhorar a qualidade da captura da câmera em ambientes mais escuros.

O terceiro é o problema de privacidade que passou o Zoom, que fez muitos usuários procurarem alternativas ao programa e encontraram na concorrência, que é o caso do Google Meet. Como estes problemas aconteceram faz mais tempo e o Zoom vem corrigindo vários deles, é bem provável que sua influência seja menor.

Com informações: Google e The Verge.

André Fogaça

Ex-autor

André Fogaça é jornalista e escreve sobre tecnologia há mais de uma década. Cobriu grandes eventos nacionais e internacionais neste período, como CES, Computex, MWC e WWDC. Foi autor no Tecnoblog entre 2018 e 2021, e editor do Meio Bit, além de colecionar passagens por outros veículos especializados.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque