Notícias Negócios

Amazon libera funcionários para trabalharem de casa até outubro

Devido ao novo coronavírus, funcionários da Amazon que atuam em escritórios poderão chegar a sete meses em home office

Victor Hugo Silva
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Os funcionários que atuam nos escritórios da Amazon em Seattle e Bellevue, nos Estados Unidos, estão trabalhando de casa desde março. Devido à extensão da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), a empresa aumentou esse prazo e os liberou para manterem o home office ao menos até 2 de outubro.

Amazon - escritório

A decisão, é claro, vale somente para funções que possam ser realizadas de casa, como programadores, engenheiros de software e funcionários do setor administrativo. As equipes dos centros de distribuição da empresa seguem com as atividades normais.

Para os funcionários que optarem por trabalhar nos escritórios, a Amazon afirma que adotará medidas recomendadas por autoridades de saúde. Isso inclui o distanciamento físico de mesas e a verificação de temperatura, bem como a disponibilização de máscaras e álcool em gel.

Os trabalhadores terceirizados de setores como limpeza, segurança e recepção permanecem em casa e recebem seus salários normalmente desde o início do isolamento. A empresa afirma que, apesar do movimento menor em seus escritórios nos próximos meses, manterá os pagamentos para os cerca de 10 mil funcionários nessa situação.

Um dos mais afetados com o trabalho remoto é o setor de restaurantes, que perde boa parte dos clientes com escritórios vazios. Pensando nisso, a Amazon ofereceu US$ 10 milhões para 800 pequenos negócios ao redor de seus prédios.

As medidas para reduzir o impacto do novo coronavírus foram divulgadas junto com os resultados da Amazon para primeiro trimestre. A empresa afirmou ainda que usará todo o lucro operacional dos próximos três meses para ajudar a conter a pandemia.

Com informações: The Seattle Times.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque