Início / Notícias / Negócios /

Dona do TikTok censurou conteúdo anti-China em app de notícias

Dona do TikTok, ByteDance censurou conteúdos que se opõem ao governo chinês em app de notícias, diz agência de notícias

Bruno Gall De Blasi

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A ByteDance, dona do TikTok, censurou conteúdo anti-China em um aplicativo de notícias indonésio. Segundo a Reuters nesta quinta-feira (13), moderadores do BaBe (Baca Berita) da Indonésia foram orientados por uma equipe estabelecida na sede da empresa chinesa, em Pequim, a remover publicações que se opõem ao governo chinês.

ByteDance, dona do TikTok, censurou conteúdo anti-China em app de notícias, segundo Reuters (Foto: Unsplash/Kon Karampelas)

Os relatos partem de seis pessoas a par do assunto. Elas contam para a agência de notícias que conteúdos com críticas ao governo chinês foram censurados até meados de 2020 a partir de orientações dadas aos moderadores do aplicativo após a aquisição de todas as operações do aplicativo indonésio, em 2018, em sequência aos acordos feitos com o governo local para reverter o banimento do TikTok na Indonésia.

Ao The Verge, um porta-voz do Baca Berita afirma que “em nossos primeiros dias, antes de sermos capazes de adotar a abordagem mais localizada que usamos hoje, o BaBe tinha algumas práticas de moderação que não eram consistentes com nossa filosofia de fazer com que a equipe indonésia decidisse o que é apropriado para o seu mercado”.

“Essas diretrizes foram substituídas em 2019 e, desde então, construímos e capacitamos equipes de moderação locais para tomar decisões adequadas ao mercado local”, explicaram ao site especializado nesta quinta-feira (13).

Procurada pela Reuters, a ByteDance não teceu mais comentários sobre o assunto.

TikTok e WeChat (foto) devem ser banidos dos Estados Unidos (Foto: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

TikTok e WeChat devem ser banidos dos Estados Unidos

O TikTok e o WeChat podem ser banidos dos Estados Unidos em breve. No último dia 6, o presidente Donald Trump assinou ordens executivas que proíbem empresas norte-americanas de fazerem negócios com a ByteDance e a Tencent por ameaçar “a segurança nacional, a política externa e a economia dos EUA”. As medidas entram em vigor em 20 de setembro.

O futuro dos aplicativos chineses, ainda assim, é incerto, já que as ordens executivas não explicitaram o banimento do TikTok e WeChat no país. Para Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, a proibição da rede social pode criar um precedente ruim em outros países. Outras companhias norte-americanas se preocupam com o banimento do mensageiro.

O TikTok também é investigado na França, pela Comissão Nacional de Informática e Liberdades (CNIL), por uso de dados de usuários.

Com informações: Reuters e The Verge