Início / Notícias / Aplicativos e Software /

WhatsApp exibe aviso de privacidade sobre LGPD no Brasil

Em comunicado, o WhatsApp destaca quais são os direitos dos usuários no Brasil com base na Lei Geral de Proteção de Dados

Victor Hugo Silva

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O WhatsApp começou a comunicar usuários de Android, iOS e KaiOS no Brasil sobre o seu Aviso de Privacidade. Segundo a plataforma, ele “se aplica às atividades de tratamento de dados pessoais sob a legislação brasileira”. A plataforma se refere à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), criada para regulamentar como empresas utilizam informações de brasileiros.

Aviso de privacidade do WhatsApp no iOS

“Você tem o direito de acessar, corrigir, portar, eliminar seus dados, além de confirmar que tratamos seus dados”, afirma o WhatsApp com base na LGPD. Disponível neste link, o Aviso de Privacidade também indica que, “em determinadas circunstâncias, você também tem o direito de se opor e restringir o tratamento de seus dados pessoais”.

O comunicado explica como usuários podem exercer seus direitos em cada plataformas e destaca uma página para quem precisa de mais informações sobre o tratamento de dados. Há ainda a opção de entrar em contato com o Encarregado de Proteção de Dados do WhatsApp, cargo previsto na LGPD para tratar da comunicação entre o controlador e os titulares das informações.

Aviso de privacidade do WhatsApp no Android

Curiosamente, o texto aponta que usuários podem entrar em contato com a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados). O órgão terá a responsabilidade de fiscalizar empresas e definir diretrizes para a criação da Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade, mas os integrantes de seu Conselho Diretor ainda não foram indicados pelo presidente Jair Bolsonaro.

Tecnocast 157 – O que está acontecendo com a LGPD?

A LGPD enfrenta obstáculos por conta da indefinição da data em que começará a valer. Ela entraria em vigor em 14 de agosto, mas o prazo pode ser estendido para 3 de maio de 2021. Aos trancos e barrancos, muitos pontos ainda não foram esclarecidos. Quem é a autoridade que vai fiscalizar o uso das informações? Como a lei protege sua privacidade? E como as empresas se adaptaram?