Início / Notícias / Aplicativos e Software /

Amazon Alexa adivinha quais skills você quer usar em comandos de voz

Assistente ganha novo sistema de aprendizado de máquina para prever quais ações você deverá pedir em seguida

Por

A Alexa está prestes a ficar mais inteligente (ou irritante, a depender do ponto de vista) – com um novo sistema de aprendizado de máquina, a assistente da Amazon será capaz de prever quais skills você deverá pedir para usar após realizar uma interação inicial por comando de voz.

Amazon Echo Dot com Alexa (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

De acordo com a empresa, o objetivo é proporcionar interações tão naturais quanto as que temos com humanos. Desse modo, o software poderá inferir quais são os desejos latentes dos clientes – isto é, o que está implícito em uma primeira solicitação.

A Amazon deu alguns exemplos de como a tecnologia deverá funcionar. Por exemplo, ao perguntar à Alexa: “Quanto tempo leva para infundir o chá?”, a assistente poderia responder “Cinco minutos” e, em seguida, sugerir uma ação, como: “Você gostaria que eu definisse um cronômetro para cinco minutos?”.

Nem todos os contextos sugerem um objetivo latente

É claro que nem sempre é uma boa hora para sugerir uma próxima ação, e a Amazon parece entender esse ponto. Por isso, o processo por trás da nova capacidade da assistente é mais complexo do que parece. Ele envolve diversos aspectos relacionados ao contexto do diálogo e histórico de interações do usuário com a Alexa.

Amazon Echo Dot com relógio

Amazon Echo Dot com relógio (Imagem: Divulgação/Amazon)

A tecnologia deverá prever, por exemplo, se o usuário estava dando um novo comando ou apenas tentando reformular algo já solicitado à assistente. A ideia é que com o uso, o software fique ainda mais assertivo em suas sugestões de skills, e possa descartar recomendações que não fizerem sentido ou que não forem aproveitadas.

Se o software será inteligente o suficiente para evitar situações inconvenientes ou minimamente irritantes, só a prática e o tempo poderão dizer.

De acordo com a Amazon, não será necessário nenhum esforço adicional em desenvolvimento para habilitar skills compatíveis com o recurso. Além disso, em testes iniciais, a novidade teria aumentado o envolvimento dos usuários com skills de alguns desenvolvedores.

Inicialmente, a função chega aos Estados Unidos, em inglês. Ainda não há informações sobre quando a novidade estará disponível no Brasil.

Com informações: Amazon