Início / Notícias / Aplicativos e Software /

Gmail agora permite desativar recursos que analisam seus e-mails

Usuários têm até 25 de janeiro de 2021 para escolher como suas informações são usadas por outros aplicativos do Google

Ana Marques

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O Google está trabalhando para facilitar o gerenciamento de privacidade no Gmail. Como resultado dos últimos esforços nesse sentido, a empresa anunciou em novembro que permitirá desativar recursos para que outros apps não tenham acesso às suas mensagens no serviço. Agora, a novidade começou a chegar para os usuários.

Aplicativo do Gmail (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)

Aplicativo do Gmail (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)

O aviso está sendo enviado por e-mail e conta com algumas explicações sobre como funcionará a nova política de privacidade do Gmail. De acordo com o comunicado, os usuários têm até o dia 25 de janeiro para escolher como suas informações são usadas e compartilhadas no Gmail, Google Chat e Google Meet.

Se você utiliza o Gmail no smartphone e ainda não recebeu o aviso sobre essas mudanças dentro do aplicativo, o Google recomenda que você atualize o app ou defina as configurações pelo computador.

Maior transparência no uso de dados de usuários

Após a data limite estipulada pela empresa, recursos inteligentes como lembretes de vencimento de faturas do Google Assistente, reservas em restaurantes no Maps e cartões de fidelidade no Google Pay não poderão usar suas informações por padrão – será necessário fornecer a autorização nas configurações do Gmail para mantê-los ativados (o que pode ser feito a qualquer momento).

A companhia explicou que a mudança pretende tornar mais transparente o processo de uso de dados dos usuários:

A capacidade de ativar (ou não) alguns desses recursos inteligentes individuais não é nova. O que há de novo é uma escolha mais clara sobre o processamento de dados que os torna possíveis. Essa nova configuração foi projetada para reduzir o trabalho de compreensão e gerenciamento desse processo, tendo em vista o que aprendemos com a pesquisa de experiência do usuário e a ênfase dos reguladores em escolhas de usuário compreensíveis e acionáveis ​​em relação aos dados.

O Google reforça ainda que os anúncios do Google não se baseiam em seus dados pessoais no Gmail, independentemente de sua escolha nas configurações de privacidade.

Com informações: Google