Usando WhatsApp, polícia recupera celulares roubados no RJ

Projeto criado na delegacia de Nova Iguaçu envolve mensagem pelo WhatsApp para quem comprou celular roubado

Victor Hugo Silva
Por

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou dados sobre a iniciativa que usa o WhatsApp para recuperar celulares roubados. Desde novembro, quando o projeto foi criado, 22 celulares foram devolvidos para seus verdadeiros donos. O número se refere apenas à 52ª DP, em Nova Iguaçu, delegacia onde o programa foi criado e é realizado em fase de testes.

WhatsApp (Imagem: Mika Baumeister/Unsplash)

WhatsApp (Imagem: Mika Baumeister/Unsplash)

Para a Polícia Civil, o número indica que o projeto tem ajudado a conscientizar a população sobre a importância de comprar produtos de forma lícita. A iniciativa envolve a identificação de um celular roubado com a ajuda das operadoras e o contato pelo WhatsApp do novo dono do aparelho solicitando o comparecimento à delegacia.

WhatsApp para recuperar celulares roubados

Pelo WhatsApp, os policiais pedem a visita à delegacia em até 24 horas depois da leitura da mensagem. O comunicado pede ainda a apresentação de nota fiscal ou um documento que confirme a aquisição lícita do celular e lembra que, caso a solicitação não seja atendida, o novo comprador do celular poderá ser condenado pelo crime de receptação.

“Queremos conscientizar a população de que a compra de produto irregular ajuda a financiar o crime”, diz o delegado e criador do projeto, Celso Gustavo Castello Ribeiro. “Aqueles que devolvem o celular roubado ficam inicialmente chateados, mas aliviados por se livrarem de um grande problema. Já as pessoas que recuperam seus aparelhos comemoram bastante, é claro”.

Além de apresentar números sobre a iniciativa, a Polícia Civil alertou que a devolução dos celulares roubados não acontece em locais como praças e shoppings. Para garantir que o aviso é legítimo, a mensagem enviada pelo WhatsApp pede apenas o comparecimento à delegacia.

Em fase de testes em Nova Iguaçu, o programa poderá ser levado para outras regiões do estado caso se mostre eficiente. Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), a região atendida pela 52ª DP registrou 401 roubos de celulares entre janeiro e novembro de 2020. No mesmo período, o estado do Rio de Janeiro teve 15.171 registros de roubos de celulares.

Victor Hugo Silva

Victor Hugo Silva é formado em jornalismo, mas começou sua carreira em tecnologia como desenvolvedor front-end, fazendo programação de sites institucionais. Neste escopo, adquiriu conhecimento em HTML, CSS, PHP e MySQL. Como repórter, tem passagem pelo iG e pelo G1, o portal de notícias da Globo. No Tecnoblog, foi redator, escrevendo sobre eletrônicos, redes sociais e negócios, entre 2018 e 2021.

Relacionados

Relacionados