Notícias Aplicativos e Software

Raspberry Pi OS adiciona repositório da Microsoft e irrita usuários

Adição de repositório da Microsoft ao Raspberry Pi OS causou surpresa; usuários reclamam de risco de monitoramento

Emerson Alecrim
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

A Microsoft já fez várias incursões pelo universo do código aberto e, apesar de ter encontrado alguma resistência no caminho, também é elogiada por isso. Porém, a mais nova iniciativa do tipo vem causando polêmica: a versão mais recente do Raspberry Pi OS incorporou um repositório apt da Microsoft na surdina, mudança que deixou muitos usuários desconfiados — ou irritados.

Raspberry Pi 4 (imagem: divulgação/ Raspberry Pi Foundation)

Raspberry Pi 4 (imagem: divulgação/Raspberry Pi Foundation)

Tão logo o repositório foi descoberto, queixas pipocaram no fórum da Raspberry Pi Foundation e no Reddit, por exemplo. Em todos os casos, a indignação dos reclamantes gira em torno da possibilidade de a Microsoft rastrear ou monitorar usuários do Raspberry Pi por meio da novidade.

Não que o repositório contenha algum código de coleta de dados do usuário ou algo do tipo. Tudo indica que o repositório da Microsoft foi incorporado ao Raspberry Pi OS para facilitar a instalação do Visual Studio Code, editor de código com versões para Windows, macOS e Linux.

Pelas vias convencionais, o usuário precisa seguir uma série de passos para instalar o Visual Studio Code no Raspberry Pi OS (sistema operacional baseado no Debian Linux). Mas, com o repositório, o mesmo processo pode ser executado com um simples comando de texto. De igual maneira, fica mais fácil atualizar a ferramenta.

Onde está a polêmica, então? Quando o apt é atualizado (pode acontecer quando o Raspberry Pi OS é atualizado ou por ação do próprio usuário, por exemplo), o procedimento consulta os repositórios para descobrir se há novos pacotes disponíveis neles. Isso significa que, em cada atualização, um servidor da Microsoft é contatado.

Pois bem, os usuários que se queixam da mudança simplesmente não querem que seu Raspberry Pi dê um “ping” nos servidores da Microsoft de tempos em tempos.

No Reddit, um deles explica que o procedimento permitirá à Microsoft descobrir que o usuário está usando o Raspberry Pi OS e, se algum serviço da empresa for acessado com o mesmo IP (como o GitHub ou Bing), a companhia poderá identificar a pessoa para, por exemplo, exibir a ela anúncios publicitários direcionados.

Também há usuários que reclamam do fato de a incorporação do repositório da Microsoft ter sido feita sem nenhum aviso prévio e de modo abrangente: a mudança vale tanto para novas unidades do Raspberry Pi quanto para as que já estão em uso.

Ao Ars Technica, Eben Upton, fundador da Raspberry Pi Foundation, deu a entender que essas preocupações são exageradas, pois somente o apt se comunica com os servidores da Microsoft e executa esse trabalho sem revelar dados do sistema operacional.

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais, negócios e transportes. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém um site chamado Infowester.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque