Início / Notícias / Computador /

No desespero, Intel lança anúncios criticando Apple M1

Intel tem veiculado campanhas nas redes sociais contra Macs com chip M1, mas argumentos são pouco convincentes

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Com a chegada do chip M1 (Apple Silicon) aos Macs, a Intel perdeu a Apple como cliente. É um baque e tanto, mesmo assim, ninguém esperava se deparar com o, digamos, desespero da companhia diante da nova realidade: a Intel tem promovido anúncios nas redes sociais que tentam, de vários modos, destacar as “deficiências” do M1.

MacBook Pro (2020) com Apple M1 (imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

MacBook Pro (2020) com Apple M1 (imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

O problema é que apontar limitações no M1 não é tarefa fácil. De modo geral, o chip tem sido bastante elogiado pelos usuários por aliar alto desempenho com eficiência energética.

Recentemente, a empresa divulgou uma série de benchmarks mostrando que os processadores Core i7 de 11ª geração são mais rápidos que o chip da Apple, mas os testes foram baseados em uma metodologia questionável, logo, não convenceram.

Talvez seja por isso que, nos anúncios divulgados em redes sociais, a Intel tenta enfatizar limitações funcionais nos Macs com chip M1. Em um deles, veiculado no Twitter, a companhia insinua que o usuário deveria comprar um PC porque o Mac não é compatível com games como Rocket League (o suporte ao jogo no macOS chegou a existir, mas foi descontinuado no início de 2020).

Em outro, veiculado no início de fevereiro, a Intel argumenta que apenas um PC pode oferecer um modo tablet, isto é, suportar telas sensíveis a toques e canetas (stylus), coisa que os Macbooks não oferecem.

Ambos os anúncios levam a um vídeo publicado no final de janeiro no YouTube que, em resumo, tenta mostrar que laptops com processadores Intel possuem recursos mais interessantes que os Macs com chip M1.

Anúncio da Intel contra o Apple M1 (imagem: reprodução/Twitter)

Anúncio da Intel contra o Apple M1 (imagem: reprodução/Twitter)

Porém, os anúncios e o vídeo têm argumentos fracos. O anúncio que indica que laptops Intel suportam um “modo tablet” diz a verdade, mas não conta que esse recurso beneficia um número muito limitado de usuários, só para dar um exemplo.

Por conta disso, essa campanha acaba tendo o efeito de manchar a imagem da Intel. O clima é de “vergonha alheia”. Como alguns usuários comentaram nos anúncios, o ideal seria a companhia se preocupar com o avanço da AMD no mercado, afinal, a parceria com a Apple já está perdida.

Com informações: MacRumors.