Notícias Finanças

Japão e China avançam no desenvolvimento de criptomoedas estatais

Criptomoedas dos bancos centrais do Japão e da China são as mais desenvolvidas do mercado; iuan digital já está em circulação

Bruno Ignacio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

As CBDCs, ou criptomoedas de bancos centrais, são uma pauta prioritária em muitos países. Nesse momento, a China já está colocando em circulação uma primeira versão do iuan digital. Já o Japão anunciou nesta sexta-feira (26) que estabeleceu um comitê especial para reunir instituições financeiras privadas e estatais para compartilhar os avanços de sua moeda protótipo.

Carteiras digitais começam a ser testadas em bancos estatais chineses para receber CBDC (Imagem: Adrian Korte/Flickr)

Carteiras digitais começam a ser testadas em bancos estatais chineses para receber CBDC (Imagem: Adrian Korte/Flickr)

Os bancos centrais não querem ficar para trás enquanto o rumo do sistema monetário caminha para a digitalização e empresas privadas como o Facebook possuem planos para lançar novas criptomoedas pensadas para pagamentos. Uma CBDC poderia ter muitas utilidades, uma delas seria a facilitação de transações internacionais, mas para isso regulamentações globais devem primeiro ser estabelecidas.

Japão cria comitê para implementar protótipo de CBDC

Em comunicado, o Banco Central do Japão disse: “Através deste comitê, compartilharemos detalhes e providenciaremos atualizações sobre o protótipo de CBDC com o setor privado e governamental. Também buscaremos conselhos sobre os próximos passos para atingir uma primeira implementação mais suave”.

O governo japonês vem se preparando para lançar um piloto de CBDC desde outubro de 2020 e a primeira fase de testes deverá se iniciar no próximo mês. Assim, além da China, o Japão é um dos países mais próximos de criar uma criptomoeda estatal completa e operante.

Porém, um iene digital definitivo não deve chegar tão cedo. O Banco Central do Japão disse que não há nenhuma estimativa para o lançamento completo de sua CBDC, porém o país pretende se manter na vanguarda do desenvolvimento de um novo sistema de pagamentos.

Bancos chineses já estão testando carteiras digitais

Enquanto isso, nesta última terça-feira (23), a China revelou que seis bancos estatais já começaram os testes com serviços de carteiras digitais, preparando o terreno para lançar sua CBDC. Assim, clientes interessados já podem se cadastrar para participar da fase de testes.

A China também vem testando seu CBDC nos centros metropolitanos de Pequim, Shenzhen, Suzhou e Chengdu desde outubro de 2020 através de eventos e distribuições pontuais da criptomoeda.

No final de janeiro, US$ 3 milhões em iuan digital foram distribuídos através de loterias festivas. O governo chinês promoveu eventos durante o tradicional festival de lanternas, sorteando “envelopes vermelhos” que continham aproximadamente US$ 31 na CBDC para 100 mil vencedores. A intenção era promover a criptomoeda estatal no mercado, tornando-a mais conhecida pela população enquanto se analisa sua adesão e uso controlado.

China propõe regulamentação global para CBDCs

Nesta semana, o governo da China discursou sobre as CBDCs durante uma conferência promovida pelo Banco de Compensações Institucionais (BIS). O oficial do banco central chinês, Mu Changchun, propôs oficialmente que todos as maiores economias do mundo trabalhem juntas para estabelecer regulamentações globais sobre as criptomoedas estatais.

Segundo ele, a “interoperabilidade deve ser implementada entre sistemas de criptomoedas de bancos centrais”. Changchun disse também que essas CBDCs devem operar utilizando a tecnologia blockchain, assim como o bitcoin (BTC). Dessa maneira, um sistema de pagamentos internacionais mais simples e com menos taxas poderia ser criado em um futuro próximo.

Com informações: CoinTelegraph, Business Insider

Bruno Ignacio

Ex-autor

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque