Início / Notícias / Negócios /

Disney+ cresce mais que Netflix e chega a 103,6 milhões de assinantes

Crescimento foi abaixo do esperado, mas serviço de streaming da Disney adicionou mais assinantes no 1º trimestre do que Netflix

Ana Marques

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O número de assinantes do Disney+ cresceu em um ritmo mais acelerado do que o da Netflix, de acordo com informações reveladas nesta quinta-feira (13). O serviço de streaming da Disney alcançou 103,6 milhões de clientes em todo o mundo no dia 03 de abril, adicionando 8,7 milhões de assinantes no primeiro trimestre de 2021. Em contrapartida, a rival conseguiu 3,98 milhões de assinantes no mesmo período, apesar de ter mais assinantes no total (208 milhões).

Aplicativo do Disney+ (Imagem: Reprodução/Unsplash)

Aplicativo do Disney+ (Imagem: Reprodução/Unsplash)

Ainda assim, o Disney+ não atingiu a expectativa de crescimento, que era de chegar a 110,3 milhões de assinantes globais no primeiro trimestre, segundo a Bloomberg. O período foi marcado pelos primeiros aumentos de preços do serviço. Entretanto, a diretora financeira da Disney, Christine McCarthy, disse que essa movimentação não resultou em um aumento significativo na rotatividade de assinantes.

O cenário também teve impacto sobre a receita registrada pela empresa: US$ 15,61 bilhões, contra US$ 15,85 bilhões esperados. O prejuízo operacional do segmento de streaming diminuiu para US$ 290 milhões (contra US$ 805 milhões no ano anterior), mas o setor deve se tornar lucrativo até o fim de 2024, segundo as previsões da empresa.

Meta de 230 milhões de assinantes até 2024 se mantém

De acordo com o CEO Bob Chapek, ainda há muitos consumidores a serem alcançados nos Estados Unidos, considerando os pacotes com serviços adicionais (ESPN Plus e Hulu). Houve um aumento de 75% ano a ano de assinantes do ESPN Plus, chegando a 13,8 milhões. A empresa também mira na expansão internacional para impulsionar o Disney+.

Apesar da desaceleração, McCarthy afirma que o serviço permanece no caminho para atingir a meta da empresa de, no mínimo, 230 milhões de assinantes até o fim de 2024. “Parece que somos bastante resilientes, o que nos faz sentir relativamente otimistas no futuro”, comentou.

Disney registrou lucro de US$ 901 milhões

A empresa registrou lucro de US$ 901 milhões no trimestre (contra US$ 460 milhões do mesmo período do ano anterior). Diferentemente da Netflix, a Disney tem negócios mais diversificados, e pode se beneficiar com o retorno das atividades presenciais.

O setor de parques e experiências, que já foi o mais lucrativo da Disney, sofreu bastante com a pandemia, e registrou o quarto trimestre seguido de prejuízo operacional. A empresa já começou a reabrir alguns parques temáticos na Califórnia, entretanto ainda há um limite limite de capacidade de 25% e restrições de visitantes apenas para residentes na Califórnia.

Com informações: Variety