Twitter Blue é oficial e traz recursos pagos como botão de editar tweets

O Twitter Blue vai permitir a correção de tweets 30 segundos antes de serem publicados; serviço deve custar R$ 15,90 no Brasil

Pedro Knoth
Por

O Twitter anunciou o lançamento do Twitter Blue, seu novo serviço de inscrição mensal, que traz funções exclusivas para assinantes como um botão para editar tweets antes da publicação. A rede social disse nesta quinta-feira (2) que lançou a ferramenta somente no Canadá e na Austrália, por enquanto.

Função de "desfazer tweet" do Twitter Blue (Imagem:Twitter/Divulgação)

Função de “desfazer tweet” do Twitter Blue (Imagem:Twitter/Divulgação)

Novo botão do Twitter Blue permite edição de tweets

As novas funções do Twitter Blue são ainda são poucas. Por alguns reais por mês, usuários do Blue podem criar pastas para organizarem itens salvos e um “modo leitura” que facilita a visualização de threads longas.

A novidade mais quente é o botão de “desfazer tweet”: uma função que atrasa a publicação de um post em 30 segundos para que o autor corrija erros de gramática ou de digitação. A ferramenta já estava presente no Brizzly, uma extensão do Twitter paga, em que é possível revisar tweets desde março de 2020.

O Twitter Blue também adiciona novas formas de customizar o app, como mudar o esquema de cores e o logo da rede – por enquanto, o serviço mensal é apenas para o aplicativo, sem previsão de lançamento para a versão desktop. O preço da mensalidade é de $3,49 CAD no Canadá e $4,49 AUS na Austrália – próximo a R$ 14 e R$ 17, respectivamente.

Vazamento revela preço do Twitter Blue no Brasil

A rede social ainda não revelou planos para inaugurar novo serviço no Brasil. Mas, na semana passada, o aplicativo do Twitter na App Store brasileira sem querer vazou o preço do novo serviço por mensalidade: a inscrição deve custar R$ 15,90.

O Twitter prometeu que essa é apenas a primeira versão do Twitter Blue e que a ferramenta deve melhorar de acordo com o feedback dos usuários. Em uma publicação em seu blog, a rede disse que também não encerrar a versão gratuita do aplicativo, que continuará a receber novas funções.

Executivos do Twitter já manifestaram interesse em facilitar o acesso de usuários a conteúdo pago, e a empresa recentemente comprou a startup Scroll, que inibe anúncios online para quem lê notícias e artigos.

Justamente em um momento em modelos de inscrição paga estão a todo vapor, como os das plataformas Only Fans e Substack, o Twitter tem experimentado algumas ferramentas pagas para além do Twitter Blue. A rede social vai deixar usuários venderem ingressos para conversas no Spaces – função na plataforma parecida com o Clubhouse. Outros projetos incluem o “super follow”, e a habilidade de dar uma “gorjeta”, que já existe dentro da rede.

Com informações: Engadget

Relacionados

Relacionados