TikTok chega a 1 bilhão de usuários ativos por mês 3 anos após lançamento

Depois de ultrapassar 3 bilhões de downloads, TikTok atinge marca histórica de 1 bilhão de usuários ativos mensais 3 anos após ter sido criado

Pedro Knoth
Por

O TikTok agora faz parte do clube do bilhão: a plataforma de vídeos chinesa ByteDance anunciou na manhã dessa segunda-feira que ultrapassou a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensais. O aplicativo vem arrasando algumas marcas em relação a competidores, que criaram uma série de recursos novos para tentar fisgar a audiência fissurada em pílulas de vídeos.

Perfil oficial do TikTok (Imagem: Pexels)
Perfil oficial do TikTok (Imagem: Pexels)

COO do TikTok: “um bilhão de obrigados”

A rede social comemorou a marca ultrapassada nesta segunda-feira com um pronunciamento da Chefe de Operações do TikTok, Vanessa Pappas. Em um vídeo da conta oficial da plataforma, ela afirma que os mais de 1 bilhão de usuários mensais entram na rede para desfrutar de uma ampla lista de categorias reforçadas pela comunidade, como “esportes, artes e cultura, moda e ‘faça você mesmo'”. Ela completa a mensagem agradecendo “um bilhão de vezes”.

Era previsto que o TikTok batesse essa meta de usuários ativos mensais. O aplicativo da rede social também bateu um recorde histórico no último semestre: foi baixado em mais de 3 bilhões de vezes, segundo dados da consultoria Store Intelligence. Ele superou métricas de 2020, ano em que a ByteDance dobrou o faturamento para US$ 34,4 bilhões.

Já a SensorTower avalia que o TikTok superou a marca de 3,2 bilhões desde a data de seu lançamento, em agosto de 2018. Isso inclui a versão do app para a China, o Douyin.

É estipulado que a empresa tenha faturado US$ 919,2 milhões em compras dentro da plataforma na primeira metade de 2021. No mesmo período de 2020, a receita bruta do app foi de US$ 530,2 milhões — o que representa um aumento de 73% na comparação anual. Em junho deste ano, a ByteDance passou a valer US$ 425 bilhões.

Concorrentes criam seus próprios “TikToks”

O fato do TikTok ter alcançado apps do Facebook em downloads — a própria rede de criada por Mark Zuckerberg, assim como Instagram e WhatsApp — em 3 anos fez com que concorrentes corressem atrás da fórmula de sucesso da rede chinesa.

O Facebook implementou o Reels para o Instagram e Adam Mosseri, CEO do aplicativo, disse que a estratégia da plataforma será desenvolver formatos de conteúdo em vídeo. O YouTube estreou oficialmente em 2020 o YouTube Shorts: opção de gravar vídeo de curta duração. Ele foi disponibilizado em junho deste ano para criadores de conteúdo brasileiros. Recentemente, o TikTok ultrapassou o YouTube em tempo médio gasto por conteúdo assistido.

Postura de Pequim impede planos de IPO da ByteDance

A ByteDance estaria prestes a lançar uma Oferta Pública Inicial (IPO). Mas esse plano foi interrompido em meio a uma rédea curta lançada pelo governo chinês para investigar práticas de grandes empresas de tecnologia ligadas ao tratamento de dados de consumidores. A companhia está inclusa nessa briga com reguladores estatais.

Governos ao redor do mundo também escrutinaram o TikTok por possivelmente compartilhar dados sensíveis com Pequim. A Índia chegou a banir completamente o app do país — algo que ressalta como a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensais é impressionante. Nos EUA, o ex-presidente Trump chegou a expedir ordens executivas para que aplicativos chineses, como o TikTok, fossem excluídos de lojas de apps no país. As medidas nunca entraram em vigor, e o atual presidente americano, Joe Biden, suspendeu-as via decreto.

Com informações: The Verge, TikTok