Início / Notícias / Jogos /

Pokémon Unite lança skin que custa R$ 225 e é criticado por jogadores

Novo visual de Alolan Ninetales enfurece os fãs de Pokémon Unite por custar quase um quinto do salário mínimo brasileiro

Por

Assim como em outros jogos grátis, Pokémon Unite vende visuais alternativos para os monstrinhos em sua loja virtual, e até aí tudo bem. Porém, a skin lançada nesta sexta-feira (1º) — um roupa tradicional japonesa para Alolan Ninetales — enfureceu a comunidade do game por custar R$ 225 no Brasil. Sim, um simples item cosmético de MOBA está sendo vendido por quase o mesmo preço de um jogo para consoles.

Skin de Alolan Ninetales custa R$ 225 em Pokémon Unite (Imagem: Divulgação/The Pokémon Company)

As reclamações em relação ao preço da skin estão vindo não só de jogadores brasileiros, como também de pessoas em todas as partes do mundo. Nos EUA e na Europa, esse visual de Alolan Ninetales custa US$ 40 e € 40, respectivamente.

Vale explicar que esse preço de R$ 225 é equivalente ao custo para comprar a quantidade necessária de Gemas Aeos — a moeda virtual obtida com dinheiro real — e desbloquear a skin. O visual pode ser liberado com 2.499 gemas, e para conseguir essa quantia é preciso adquirir o pacote de R$ 224,90, no mínimo.

Skin Sacred Style de Alolan Ninetales custa 2.499 Gemas Aeon em Pokémon Unite (Imagem: Murilo Tunholi/Tecnoblog)

Além disso, essa skin não pode ser liberada de nenhuma outra forma dentro do jogo. Até existe um sistema de gacha em que os jogadores têm pequenas chances de conseguir roupas alternativas para os Pokémon, mas o visual de Alolan Ninetales não está incluído entre os prêmios.

No Twitter, usuários estão usando a postagem de anúncio da nova skin para criticar o jogo e os preços altos cobrados em todos os conteúdos pagos, não só em itens cosméticos. Em uma das respostas, o perfil @BlitzburghBeast resumiu o sentimento de quem gosta do game, mas não pode sustentar esses gastos:

“Sou grato a todos os artistas que trabalham muito para criar as belas artes do jogo. Eu entendo que eles também precisam ser pagos, mas a grande maioria do público alvo [de Pokémon Unite] não pode pagar por uma skin de US$ 40. Existem boas e más práticas de monetização no jogo, e a maior parte é ruim. Continuem ouvindo as vozes de seus jogadores e melhorem. Vocês têm uma grande base de fãs que QUER que esse jogo tenha sucesso, até chegar ao patamar dos esports. Isso não vai acontecer se vocês maltratarem eles [os jogadores] e continuarem com práticas inadequadas”.

@BlitzburghBeast.
É preciso comprar o pacote de gemas que custa R$ 224,90 para comprar a skin de Alolan Ninetales (Imagem: Murilo Tunholi/Tecnoblog)

A skin custa um quinto do salário mínimo brasileiro

Alguns usuários tentam defender o preço elevado, dizendo que o jogo precisa se sustentar por ser grátis para baixar. Contudo, em League of Legends (LoL) — outro MOBA gratuito —, não existe um único visual disponível na loja do jogo que custe mais de R$ 80 — preço de uma skin da categoria Ultimate, a mais cara de todas.

Além disso, Pokémon Unite é gerenciado pela Tencent, uma das maiores empresas de games do mundo, conhecida por publicar jogos mobile com microtransações abusivas. Não sabemos se esse custo de R$ 225 é uma conversão direta, sem aplicar preço regional, ou se é realmente um assalto. Considerando que em outros países a skin também é cara, a segunda opção é a mais provável.

Vender um item cosmético que custa quase um quinto do salário mínimo dos brasileiros — R$ 1.100 em 2021 — não é uma estratégia de marketing muito saudável para um jogo com tanto potencial, em especial se o seu público alvo principal forem crianças que ainda não têm noção de gastos.