Notícias Brasil

Procon-SP notifica Casas Bahia por cancelar pedidos de Note 20 por R$ 679

Via S/A, dona das Casas Bahia, tem três dias para explicar ao Procon-SP razões de cancelamento e mostrar plano de ação para resolver reclamações

Giovanni Santa Rosa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O Procon-SP notificou a Via S/A, dona das Casas Bahia, por cancelar os pedidos de Galaxy Note 20 a R$ 679 e Galaxy S20 FE a R$ 1 mil. A empresa terá que explicar por que não cumpriu a oferta feita durante a Black Friday.

Samsung Galaxy Note 20 (Foto: Paulo Higa/Tecnoblog)
Samsung Galaxy Note 20 (Foto: Paulo Higa/Tecnoblog)

O órgão quer saber quais são as razões do cancelamento e quantos pedidos foram recebidos. As Casas Bahia também terão que mostrar seu plano de ação para resolver as reclamações apresentadas em seu sistema de atendimento ao consumidor e também no Procon-SP. A Via S/A tem três dias para responder.

Entenda o caso das Casas Bahia

Na noite da Black Friday (26), as Casas Bahia colocaram em sua loja online o celular Samsung Galaxy Note 20 por R$ 679 — geralmente, ele custa entre R$ 2,5 mil e R$ 3 mil. Outro aparelho com preço muito baixo era o Galaxy S20 FE, que saía por cerca de R$ 1 mil — normalmente, seu preço é na faixa dos R$ 2,5 mil.

Casas Bahia (Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)
Casas Bahia (Imagem: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

Quem comprou, porém, teve seu pedido cancelado. Consumidores procuraram o Tecnoblog para compartilhar suas histórias. Pagamentos por Pix foram devolvidos imediatamente, e compras no cartão tiveram estorno nos dias seguintes. Quem recorreu ao boleto, porém, recebeu um vale-compras no valor desembolsado. Para ter o dinheiro de volta, é preciso entrar em contato com o atendimento ao cliente.

Os clientes também usaram as redes sociais para reclamar da loja. Eles querem que a empresa cumpra a oferta e entregue os produtos pelo preço anunciado. As Casas Bahia alegam que houve um erro de processamento.

O Tecnoblog conversou com Renata Reis, coordenadora de atendimento do Procon-SP, e com Bruno Boris, professor do Mackenzie e especialista em direito do consumidor. Eles dizem que a questão pode ser discutida.

Por um lado, o preço muito mais baixo que o praticado normalmente sugere que há mesmo um erro. Por outro lado, o valor foi anunciado durante uma Black Friday, quando promoções “malucas” podem acontecer. Além disso, a própria loja anunciou que teria produtos com até 80%, o que dá argumentos para os clientes.

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque