Notícias Jogos

Ubisoft enfrenta fúria e boicote de jogadores por novo sistema de NFTs

Primeiros NFTs da Ubisoft para Ghost Recon Breakpoint enfurece jogadores; anúncio no YouTube tem 96% de reprovação e boicotes estão sendo organizados no Reddit

Bruno Ignacio
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Os gamers realmente odeiam NFTs e a Ubisoft deveria saber disso. No início desta semana, a desenvolvedora francesa anunciou o lançamento de sua plataforma Quartz, dedicada à criação de tokens não fungíveis, e de sua primeira coleção de NFTs in-game para Tom Clancy’s Ghost Recon Breakpoint. No entanto, os fãs da franquia estão furiosos, deixando uma chuva de dislikes no YouTube e organizando boicotes.

Novo marketplace de NFTs da Ubisoft (Imagem: Divulgação)
Novo marketplace de NFTs da Ubisoft (Imagem: Divulgação)

Um bom medidor dessa insatisfação é o vídeo de anúncio da Quartz, publicado pela Ubisoft no YouTube na última terça-feira (7). A publicação conta com mais de 96% de reprovação, com 1.400 likes e 38 mil dislikes. Ainda que não seja mais possível ver os dislikes normalmente na plataforma, existem diversas extensões de navegador que permitem a visualização dessa informação.

Na realidade, a taxa de aprovação é tão baixa que há diversos comentários no anúncio da Ubisoft Quartz com mais likes que o próprio vídeo, todos criticando a decisão da desenvolvedora de entrar no mercado de NFTs.

Anúncio da Ubisoft Quartz no YouTube (Imagem: Reprodução)
Anúncio da Ubisoft Quartz no YouTube (Imagem: Reprodução)

“O dia que a Ubisoft decidiu se tornar totalmente do mal.”

“Ubisoft, mais uma vez, nos dando algo que não pedimos, que não queremos e que não vamos aproveitar.”

“Imagine se a Ubisoft realmente pensasse em fazer jogos para que as pessoas gostassem deles em vez de tentar imprimir dinheiro sem parar.”

“Para mim, este é um sinal muito claro de que vocês (Ubisoft) estão apenas extraindo até o último centavo da franquia Ghost Recon em vez de colocar um mínimo de esforço no jogo em si. Não vou jogar mais nenhum game GR no futuro se houver esse nível de degeneração na equipe. Você pegou uma franquia sólida e a reduziu a um alvo de chacota.”

Esses são apenas alguns dos comentários mais populares no YouTube, com 2 ou 3 mil likes cada. No Twitter, mais uma legião de jogadores insatisfeitos criticam a Ubisoft. No Reddit, boicotes contra a desenvolvedora e a franquia Ghost Recon já estão sendo organizados.

Players organizam boicote contra a Ubisoft

“Não apoie o ‘Quartz’, novo marketplace de NFTs da Ubisoft”. Esse é o título de um tópico no Reddit com 2,5 mil comentários. Nele, o autor enfatiza que os jogadores precisam se “opor à essa prática”, se referindo aos tokens não fungíveis no mundo gamer. “Isso será pior do que as lootboxes se permitimos que infeste os jogos”, argumenta.

Esse tópico é apenas um de vários que promovem o boicote à Ubisoft e aos jogos da desenvolvedora. De maneira geral, os players estão extremamente descontentes por coisas que ainda não aconteceram, mas que eles têm certeza de que vão ocorrer em algum momento.

Cosméticos "Wolves" serão distribuídos como NFTs de edição limitada (Imagem: Reprodução)
Cosméticos “Wolves” serão distribuídos como NFTs de edição limitada (Imagem: Reprodução)

A Ubisoft ainda não vendeu nenhum NFT. Na realidade, a empresa distribuiu o primeiro token cosmético para o Ghost Recon Breakpoint de graça. Foram 2 mil ativos digitais criados gratuitamente pelos jogadores que foram rápidos o suficiente para resgatá-los. Estamos falando de uma skin para a arma M4A1 Tactical, um cosmético que não pode ser adquirido de nenhuma outra maneira. Ou seja, você só pode ter essa visual in-game se sua carteira digital vinculada ao Ubisoft Quartz possue o NFT.

No entanto, é possível vender ou comprar esse token não fungível de outros jogadores. Então, até o momento, os únicos capitalizando esse novo sistema de NFTs da Ubisfot são os próprios jogadores. Nas próximas semanas a desenvolvedora começará a distribuir outros dois ativos da mesma linha de skins “Wolves”, também sem custo para os players.

A intensa rejeição aos NFTs

O ódio dos jogadores, por outro lado, é muito mais instintivo do que qualquer outra coisa. Muitas pessoas consideram a tecnologia NFT como algo diretamente relacionado a pirâmides financeiras e à lavagem de dinheiro, coisas que eles não querem proximidade.

Lembra quando o Discord indicou que poderia integrar carteiras digitais e NFTs à plataforma? Ocorreu exatamente a mesma coisa. Uma legião de usuários furiosos forçou a plataforma a interromper seus planos com tokens não fungíveis. Na época, um simples rumor foi capaz de movimentar dezenas de milhares de pessoas para boicotar o Discord.

A Ubisoft foi muito além e lançou, sem avisar ninguém, todo um sistema de NFTs in-game ao lado de um marketplace para eles. Ainda que a empresa não esteja capitalizando a Quartz, espera-se que mais NFTs limitados entrem a venda em 2022. No final das contas, será que esse projeto vai trazer mais lucro ou prejuízo para a desenvolvedora?

Bruno Ignacio

Ex-autor

Bruno Ignacio é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cobre tecnologia desde 2018 e se especializou na cobertura de criptomoedas e blockchain, após fazer um curso no MIT sobre o assunto. Passou pelo jornal japonês The Asahi Shimbun, onde cobriu política, economia e grandes eventos na América Latina. Já escreveu para o Portal do Bitcoin e nas horas vagas está maratonando Star Wars ou jogando Genshin Impact.