Sem ConecteSUS, governo sugere emitir certificado da vacina em posto de saúde

ConecteSUS permanece indisponível após ataque hacker ao Ministério da Saúde; plataforma deve voltar a funcionar ainda nesta semana

Bruno Gall De Blasi
Por

A semana não terminou muito bem para o Ministério da Saúde. Após um ataque hacker, o ConecteSUS saiu do ar e permanece indisponível nesta segunda-feira (13), impedindo o acesso ao certificado da vacina contra a COVID-19 pela plataforma. Mas a pasta ofereceu uma solução para obter o documento sem depender do serviço: a emissão da segunda via da Carteira Nacional de Vacinação em postos de saúde.

Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)
Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

A orientação visa amenizar os impactos da indisponibilidade do ConecteSUS. Na sexta-feira (10), o Ministério da Saúde sofreu um ataque que derrubou os sites da pasta e impediu o acesso ao certificado de vacinação contra a COVID-19 pelo ConecteSUS. Devido ao incidente, o ministério sugeriu o uso do cartão de vacinação físico.

A orientação parte do portal Gov.br. No caso de quem está no Brasil, o ministério recomenda procurar o posto de vacinação onde a primeira ou segunda dose da vacina contra a COVID-19 foi aplicada. Depois, é só pedir a emissão da segunda via da Carteira Nacional de Vacinação, que é válida em todo território nacional.

Também existe a possibilidade de emitir o documento digitalmente em alguns estados e municípios. Confira a lista:

O Secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro também deu orientações nesta sexta-feira (10). Segundo Daniel Soranz pelo Twitter, é possível acessar a caderneta de vacina pelo sistema da Prefeitura do Rio de Janeiro, o Minha Saúde: smsrio.org. “Temos cópias de segurança com informações das vacinas aplicadas no Rio”, afirmou.

O ministério também deu orientações aos brasileiros que estão com viagem marcada para o exterior nos próximos dias. Confira a explicação na íntegra:

“O Ministério da Saúde está trabalhando em todas as frentes para que todos os brasileiros consigam viajar em segurança. O Ministério das Relações Exteriores enviará comunicado aos países que receberão voos oriundos do Brasil informando sobre a indisponibilidade temporária do Certificado Nacional de Vacinação COVID-19 em formato digital e que a Carteira Nacional de Vacinação no formato físico poderá ser um dos documentos utilizados para comprovação de imunização.” 

Site do Ministério da Saúde hackeado (imagem: Twitter/Jeff Nascimento)
Site do Ministério da Saúde hackeado (imagem: Twitter/Jeff Nascimento)

ConecteSUS deve ser restabelecido nesta semana

Após o ataque desta sexta-feira (10), o ConecteSUS permanece indisponível na tarde desta segunda-feira (13). Mas, segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o retorno da plataforma pode acontecer em breve: até terça-feira (14).

A estimativa foi dada pelo ministro à TV Globo. Durante o Congresso Brasileiro de Urologia, realizado neste domingo (12) em Brasília (DF), Marcelo Queiroga respondeu a um questionamento feito pela emissora sobre a instabilidade da plataforma: “Acredito que até terça-feira, né?”, afirmou. “Pelo menos essa é a expectativa nossa.”

A fala do ministro aconteceu após o anúncio de recuperação das informações. “O Ministério da Saúde informa que o processo para recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 foi finalizado, sem perda de informações”, afirmaram ao Poder360. “Todos os dados foram recuperados com sucesso.”

A pasta ainda informou ao portal que está trabalhando para restabelecer os sistemas.

ConecteSUS não apresentou registros de vacinação nesta sexta-feira (10) (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
ConecteSUS não apresentou registros de vacinação nesta sexta-feira (10) (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Ministério da Saúde é alvo de hackers; entenda o caso

O Ministério da Saúde sofreu um ataque hacker na madrugada de sexta-feira (10). Por volta de 1h, os sites da pasta passaram a exibir um aviso de que os “dados internos dos sistemas foram copiados e excluídos” em uma nota assinada pelo grupo Lapsus$ Group. A página também afirmava que o ministério havia sofrido um ataque de ransomware.

Consequentemente, o app ConecteSUS está fora do ar desde então. Neste caso, o aplicativo até exibe algumas informações, como o Cartão Nacional de Saúde (Cartão do SUS). Os dados sobre a aplicação de vacinas, no entanto, desapareceram da plataforma, conforme foi observado pelo Tecnoblog em um teste feito no dia do incidente.

A pasta confirmou o ataque no mesmo dia e afirmou que a Polícia Federal (PF) e o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) iriam investigar o incidente. Mais tarde, o ministro Marcelo Queiroga assegurou que o Ministério da Saúde possuía um backup de dados. Ainda na sexta-feira (10), a PF também afirmou que os dados da pasta não foram criptografado por hackers, amenizando a suspeita de ransomware.

Com informações: G1Daniel Soranz (Twitter)Ministério da Saúde e Poder360 (1 e 2)

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Relacionados

Relacionados