Uma semana sem ConecteSUS: governo adia retorno e alerta para golpe

Volta do ConecteSUS estava prevista para terça (14), mas invasão atrapalhou os planos; golpistas usam certificado para fazer vítimas

Giovanni Santa Rosa
Por

Depois de ataques de hackers e muitos problemas técnicos, o ConecteSUS completa uma semana sem as informações sobre vacinas. O aplicativo, que pode ser usado para emitir o comprovante de vacinação contra COVID-19, deve voltar no fim de semana. E como nada é tão ruim que não possa piorar, golpistas estão se aproveitando da situação.

Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)
ConecteSUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

ConecteSUS sem vacinas

Os problemas começaram na sexta passada (10). O site do Ministério da Saúde foi invadido. No lugar da página de sempre, uma mensagem dizia que “dados internos dos sistemas foram copiados e excluídos” após um ataque de ransomware. A pior parte, porém, foi que os registros de vacinação do aplicativo ConecteSUS também desapareceram.

Isso acabou comprometendo a emissão do Certificado Nacional de Vacinação COVID-19. O documento é necessário para várias atividades, incluindo viagens internacionais para alguns destinos.

O governo se posicionou contra essas exigências, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria pela obrigatoriedade do comprovante de vacinação para pessoas que entram no País.

Felizmente, é possível contornar essa dor de cabeça por meio das secretarias municipais e estaduais de saúde. Elas mantêm sites e aplicativos que também emitem os comprovantes de imunização.

O problema do ConecteSUS, porém, foi um prenúncio do que estava por vir.

Sistemas do Ministério da Saúde são alvo de ataques

De acordo com a pasta, o problema do ConecteSUS foi causado por ataques a um servidor da Amazon, onde estavam os dados da vacinação. A base de dados foi colocada lá pela Embratel, empresa contratada para fornecer a infraestrutura para o aplicativo.

Durante o fim de semana, porém, os sistemas internos do Ministério da Saúde passaram por tentativas de invasão. O governo inicialmente negou os ataques na segunda-feira (13), dizendo que o Datasus estava realizando uma manutenção preventiva.

Ministério da Saúde (imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Ministério da Saúde (imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

À noite, porém, o ministro Marcelo Queiroga admitiu as ações dos hackers. Fontes também dão conta de que o Ministério da Defesa passou a participar das investigações sobre os ataques.

A previsão inicial dada por Queiroga era de que o ConecteSUS voltaria a estar completamente disponível na terça-feira (14). Com os novos episódio, porém, isso não pôde ser cumprido. A expectativa mais recente é que ele seja reestabelecido durante o fim de semana.

“Essa questão interna hoje [quinta-feira, 16] já deve ser resolvida, e em relação ao ConecteSUS espero que até o final de semana esteja solucionado”, disse o titular da pasta, de acordo com o jornal O Globo. Em nota, o Ministério da Saúde diz que todos os dados foram recuperados com sucesso.

Até agora, o aplicativo continua continua disponibilizando histórico clínico, medicamentos dispensados e exames feitos. O que falta são mesmo as informações sobre vacinação. E tem gente se aproveitando disso.

Golpes prometem certificado de vacinação por e-mail

Com as dificuldades para emitir um documento necessário, golpistas viram uma oportunidade e tanto. O Ministério da Saúde divulgou um alerta na quarta-feira (15) sobre mensagens falsas por e-mail que prometem enviar o certificado de vacinação contra COVID-19.

A pasta explica que não disponibiliza esse tipo de comprovante por e-mail, apenas via aplicativo ConecteSUS ou sua versão web.

Com informações: Correio Braziliense, O Globo, Agência Brasil

Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Relacionados

Relacionados