Escassez de Switch pode começar em 2022, diz presidente da Nintendo

Após passar 2020 e 2021 sem muitos problemas nos estoques, a Nintendo pode enfrentar dificuldades de produção e distribuição de Switch em 2022

Murilo Tunholi
Por

Ao longo de 2020 e 2021, a Nintendo conseguiu evitar problemas graves na produção e distribuição de Switch, apesar da escassez de chips semicondutores e das dificuldades de logística no mundo todo causadas pela COVID-19. Em 2022, porém, essa situação pode mudar, e o presidente da empresa, Shuntaro Furukawa, tem medo de não conseguir suprir a demanda pelo console híbrido a partir de janeiro.

Nintendo Switch (Imagem: Alvaro Reyes/Unsplash)
Nintendo Switch (Imagem: Alvaro Reyes/Unsplash)

Em entrevista ao Kyoto Shimbun, Furukawa comentou que as vendas do Nintendo Switch no final de 2021 foram boas, em especial as do modelo OLED. Entretanto, o presidente da Big N está preocupado com o futuro, pois há chances da empresa não conseguir fabricar tantas unidades quanto gostaria no ano que vem, resultando em paralisação na produção e escassez de produtos nos estoques.

Apesar do Nintendo Switch ter vendido bem nos últimos meses de 2021, Furukawa disse que alguns problemas de logística afetaram de forma negativa o comércio de consoles durante o período da Black Friday, no final de novembro. Na época, em vez de usar navios, a empresa precisou transportar os videogames por aviões, nos EUA, e por trens, na Europa, para abastecer as lojas a tempo do feriado.

“Após a Black Friday, não pudemos dizer que fomos capazes de suprir a demanda suficientemente”, afirmou o presidente. Para 2022, o chefe da Big N teme que essa situação piore, após as festas de Ano Novo. “Vai depender da demanda, mas estamos preocupados de haver um impacto em que não vamos conseguir entregar tantos [Switches] quanto nós queremos”, concluiu.

Escassez de Switch é assunto desde o início de 2021

Vale lembrar que Furukawa fala sobre uma possível escassez de Nintendo Switch desde abril deste ano. Naquele tempo, o executivo explicou que a demanda por consoles havia aumentado muito durante o período da pandemia, por causa das quarentenas. Apesar disso, a empresa estava conseguindo manter a produção sem problemas muito graves.

Já no início de novembro, o Nikkei Business obteve informações sobre uma diminuição na fabricação de Switches. Segundo o jornal, a Nintendo planeja produzir 20% a menos de consoles até 31 de março de 2022. A ideia original da empresa era montar 30 milhões de unidades, mas deve conseguir entregar apenas 24 milhões. O jeito, agora, é torcer para a escassez de chips não durar por muito mais tempo.

Com informações: Nintendo Life.