Início / Notícias / Brasil /

ConecteSUS: ainda há dados faltando e pouca explicação sobre ataques

Uma semana após o restabelecimento do ConecteSUS, brasileiros reclamam do sumiço de informações sobre vacinas no app

Por

Depois de ter ficado 13 dias completamente fora do ar, o ConecteSUS voltou a funcionar pouco antes do Natal, no dia 23 de dezembro. A plataforma do Ministério da Saúde havia sido suspensa após um ataque hacker no dia 10. Apesar do retorno ter ocorrido há uma semana, brasileiros que tentam acessar o comprovante de vacinação ainda enfrentam instabilidade e, em alguns casos, há dados faltando — situação que levanta alguns alertas em relação às informações guardadas no sistema do governo.

Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)
ConecteSUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

Vacinas sumiram e há demora em novos registros

Há diversas publicações em redes sociais a respeito da ausência de registros de vacinas que antes apareciam no ConecteSUS. Uma parte é sobre vacina não relacionada à COVID-19, que não aparece no aplicativo.

É o que conta o leitor Wanderson de Souza, que tomou a vacina contra febre amarela, mas não consegue mais obter esse registro por meio do ConecteSUS desde que os sistemas retornaram. Em conversa com o Tecnoblog, ele contou ainda que a dose de reforço da vacina de COVID-19 de sua avó também havia sumido da plataforma.

“E no caso da minha avó, que já tomou a 3ª dose da vacina de COVID-19, também não apareceu. (…) Ela tomou em 17 de setembro. Demorou cerca de 30 dias pra aparecer no app [antes do ataque].”

Outras pessoas passam por situações semelhantes. O usuário @AndreLML afirma que a vacina da gripe, aplicada no meio do ano, também não estava mais aparecendo entre os registros do ConecteSUS:

“O ConecteSUS voltou, mas nele não costa nem a minha terceira dose (que tomei no meio do apagão), nem minha vacina contra a influenza (que tomei no meio do ano). Alguém sabe como regularizar isso? Tenho os cartões de vacina em papel para comprovar.”

Há relatos que tomaram a vacina durante o apagão e estão notando maior demora para a inclusão de novos dados no sistema.

Uma outra observação na abertura do aplicativo também chama a atenção. Para alguns usuários, as as informações aparecem rapidamente ao iniciar o ConecteSUS, e depois desaparecem. É como se elas estivessem ali, mas algo estivesse bloqueando a exibição das mesmas, como mostra o vídeo do tweet abaixo:

União deve ser responsabilizada por dados furtados

Os primeiros sinais dos problemas de segurança em sistemas da pasta vieram bem antes do ataque hacker que tirou o ConecteSUS do ar. Vale lembrar que no início do ano, um hacker invadiu o DataSUS para expor a fragilidade da plataforma. Na ocasião, o invasor avisou que o site estava “um lixo”.

Em julho, Guilherme Boulos (PSOL) foi vítima de uma alteração ilegal de dados cadastrais na base do SUS. Já em outubro, os youtubers Felipe Castanhari, Nyvi Estephan e Felipe Neto relataram invasão e mudança de dados na plataforma do governo.

De acordo com Ana Basílio, advogada e presidente do Instituto Brasileiro de Estudo em Proteção de Dados (Ibradados), é de responsabilidade da União reparar eventuais danos a quem teve informações furtadas devido a brechas em plataformas oficiais.

“No caso específico do Conecte SUS, por exemplo, a responsabilidade sobre os dados sigilosos é da União. Então é a União quem deve reparar eventuais danos, pois foi uma falha no sistema do próprio governo que resultou na violação e no furto dos dados de milhões de pessoas.”

Ministério da Saúde não explicou detalhes sobre ataques

Vinte dias após os ataques aos sistemas da Saúde, ainda há diversas incertezas sobre o ocorrido. Além disso, como reporta o Metrópoles, nem todas as plataformas foram recuperadas após a invasão. O Open DataSUS que comporta diversos bancos de dados, dentre eles do que reúne casos de Síndrome Respiratória Aguda Graves (SRAG), uma das consequências da COVID-19, está fora do ar.

O ministério afirma que já restabeleceu as plataformas e-SUS Notifica, SI-PNI, além do ConecteSUS, e que “trabalha para restabelecer as demais plataformas afetadas o mais rápido possível”.

O Tecnoblog tentou contato com a pasta para saber se há um prazo para a normalização da inclusão/restauração de dados de vacinas no ConecteSUS, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Até lá, caso você precise do comprovante de vacinação e não esteja conseguindo obtê-lo por meio do app, a recomendação é procurar uma secretarias estadual ou municipal de saúde.

Tecnocast 223 – Os sistemas do governo sob ataque

No Tecnocast 223, falamos sobre a onda de ataques cibernéticos que vem impactando os sistemas de órgãos públicos do nosso país, incluindo o caso desta notícia, envolvendo o Ministério da Saúde. Dá o play para entender onde o poder público está falhando no quesito de segurança digital: