Início / Notícias / Jogos /

Bully 2 era mesmo real, mas foi cancelado devido a estes problemas

Bully 2 chegou a existir e boa parte de sua produção estava pronta, mas jogo foi cancelado por problemas internos da Rockstar e mudanças de planejamento

Por

Bully 2 realmente existiu, mas foi cancelado antes mesmo de ser revelado ao público. De acordo com uma reportagem publicada pela Game Informer, uma soma de pequenos fatores levaram ao seu cancelamento, incluindo a cultura de “crunch” dentro da Rockstar, a prática de trabalhar por longos períodos sem descanso, além de remanejamento de equipes para outros projetos, como Max Payne 3 e Red Dead Redemption, que saíram pouco tempo depois.

Bully 2 foi cancelado em 2010 (Imagem: Divulgação/Rockstar)

A reportagem também dá detalhes do que o jogo poderia ter sido.Eles indicam que o mapa do mundo do game seria três vezes maior do que o do primeiro Bully. Além disso, qualquer prédio ou local poderia ser explorado pelo protagonista, sem barreiras – liberdade era algo grandioso para a equipe de produção.

O jogo teria ainda várias mecânicas novas, como relacionamento com outros personagens baseado em um sistema de moral e a possibilidade de escalar locais altos, incluindo árvores, tornando a experiência mais realista.

Entre 50 e 70 pessoas estavam trabalhando no projeto, uma equipe relativamente grande. Mas, ainda assim, não foi o suficiente para fazer com que a Rockstar levasse a ideia adiante, já que a empresa preferiu se focar em outros futuros lançamentos. Quando foi cancelado, em 2010, o game já tinha cerca de oito horas jogáveis.

Não se sabe o futuro, porém. Pode ser que um dia Bully 2 seja retomado e o game veja a luz do dia. Ou talvez a Rockstar não queira arriscar outra “vergonha”, já que tem um jogo cancelado e sumido em seu histórico – o esquecido The Agent, que foi revelado como exclusivo do PS3 e até hoje não teve qualquer outro detalhe.

Jogo polêmico

Vale lembrar que o primeiro Bully tem uma história polêmica. O game é uma espécie de “GTA na escola”. Temos um mundo aberto onde controlamos um personagem que precisa viver seus dias no colégio, enquanto lida com problemas de relacionamento, valentões e ainda se dar bem nos estudos e tirar notas boas.

Bully chegou a ser banido no Brasil em 2008. O jogo teve sua comercialização suspensa pelo Ministério Público do Rio Grande Sul, por supostamente “incitar a violência a professores, humilhação e ser nocivo para crianças e adolescentes”. Só em 2016 ele voltou a ter sua comercialização autorizada.

Com informações: Eurogamer.