Início / Notícias / Jogos /

Jogador brasileiro de Street Fighter é acusado de confessar estupro em live

Jogador profissional que vai representar o Brasil em torneio oficial da Capcom diz ter abusado de namorada em live, mas nega acusação

Por

Considerado um dos principais nomes do cenário profissional de Street Fighter 5 no Brasil, o jogador Robinho, ou Robson Oliveira, foi acusado de supostamente descrever um estupro coletivo contra uma ex-namorada. A situação aconteceu enquanto Robinho estava em live e foi denunciada posteriormente no Twitter, por vários usuários e participantes do cenário de games de luta.

Street Fighter 5: Robinho, jogador profissional, declara ter cometido abuso com namorada (Imagem: Reprodução)

A live de Robinho foi transmitida em 27 de dezembro, mas só ganhou destaque agora, no início de janeiro. Na ocasião o jogador descreve uma situação onde ele teria descoberto a traição da sua então namorada, até que decide realizar uma “vingança” e armar a situação onde ele e mais oito homens tiveram relações forçadas com a mulher. “Zoei, todo mundo zoou. Nesse dia, eu aloprei. Aí no dia seguinte, “por que você fez isso?”, não sei o que… Por que você isso? Você é maior vagabunda”, descreve o atleta de Street Fighter, em seu vídeo.

A situação levantou diversas denúncias e críticas a Robinho, inclusive com marcações nas redes sociais da Capcom. O jogador não apenas é representante do Brasil no torneio Capcom Cup VIII, oficial da empresa, que ocorre em fevereiro, mas também ganhou destaque por fazer campanha de vaquinha online para cobrir os custos da viagem. Além disso ele também era membro da equipe Patoz Team, que anunciou seu desligamento nesta semana, após as denúncias.

O jogador deletou suas redes sociais e o vídeo da live.

Jogador se defende

Em uma declaração que deu exclusivamente ao Globo Esporte, Robinho se defende e disse que tudo não passou de uma brincadeira. “Uma história alheia que nem existe, coisa que falei na zoeira, agora estão me acusando de uma coisa que foi falada na brincadeira”, disse. O jogador alega que apenas o relacionamento e a descoberta da traição eram reais – todo o resto foi supostamente inventado.

Sua defesa também foi suficiente para gerar mais críticas. Mesmo sendo brincadeira, o que não pode ser comprovado, o fato de ter contado a história aos risos e com orgulho escancara a “cultura do estupro”, que normaliza abusos sofridos por mulheres em todo o mundo, levando em conta ações como traições ou supostos maus comportamentos.

No fim do ano passado o jogador também se envolveu em uma pequena polêmica nas redes sociais, quando declarou que não ia se vacinar contra a COVID-19. Nesta ocasião ele também alegou que a declaração era uma “brincadeira”.

E a Capcom?

Robinho disse também ao GE que teme ser expulso do torneio da Capcom. A empresa ainda não se manifestou, mas se diz ciente da situação. Resta aguardar por um posicionamento da produtora e organizadora do evento.

[Atualização 11h14]: A Capcom emitiu um comunicado em inglês, por meio de sua conta no Twitter Capcom Fighters, banindo o jogador de seu cenário competitivo. “Temos zero tolerância com este tipo de prática e comportamento que, mesmo em nível mínimo, violam o código de conduta do jogador, potencialmente também violam leis brasileiras e merecem represália. Por isso Robson ‘Robinho’ Oliveira está permanentemente banido de todos os eventos organizados ou mantidos pela Capcom, incluindo o Capcom Cup, Capcom Pro Tour e Street Fighter League. Esse é um banimento global, o que significa que se aplica a todas as localidades do mundo”, diz o texto.

O vídeo completo com a declaração de Robinho pode ser visto abaixo:

Com informações: Globo Esporte.