Notícias Telecomunicações

PayPal, Mastercard e Visa legitimam IPTV pirata, diz AAPA (mas eu discordo)

PayPal, Mastercard e Visa são aceitos em mais de 40% dos sites de IPTV ilegal; no Brasil, piratas também recebem via Pix, PicPay, Mercado Pago e boleto

Lucas Braga
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Pirataria de TV paga é um fenômeno que ocorre no mundo inteiro, e a facilidade do uso de IPTV ilegal têm movimentado gigantes do setor para combater esse tipo de prática. Uma associação antipirataria diz que os fornecedores do serviço ilícito exploram a marca de gigantes de pagamentos como Visa, Mastercard e PayPal com objetivo de legitimidade na hora da compra.

IPTV pirata
Cloudflare deverá bloquear serviços de IPTV na Itália (Imagem: Mohamed Hassan/Pixabay)

De acordo com a AAPA (Audiovisual Anti-Piracy Alliance, que se traduz para algo como “aliança audiovisual contra a pirataria”), os fornecedores de serviços ilegais de IPTV precisam dar um ar de credibilidade aos potenciais consumidores. Para isso, os sites mostram marcas e logotipos de grandes empresas como PayPal, Visa, Mastercard e outros processadores de pagamento.

A acusação é acompanhada de um estudo realizado por uma empresa-membro da aliança, e aponta gigantes de pagamentos como “facilitadoras” do serviço pirata. Foi constatado que 17,38% dos serviços de IPTV pirata de 2021 utilizam PayPal como método de cobrança, seguido por Mastercard (14,74%), Visa (14,1%) e criptomoedas (11,75%).

Empresas de pagamento legitimam pirataria de TV?

O artigo da AAPA diz que os fornecedores de IPTV pirata exploram as marcas de processadores de pagamento em seus sites, para dar um ar de legitimidade ao negócio.

Na minha opinião, isso não faz tanto sentido assim. Também existem diversos sites falsos, lojas adulteradas e armadilhas de phishing que também utilizam marcas de Mastercard, Visa e PayPal. O objetivo sempre foi mostrar métodos de pagamento que as pessoas têm acesso.

Praticamente qualquer pessoa pode aceitar Visa, Mastercard e PayPal em seu site. Existem centenas de gateways processadores de pagamento no mercado. Hoje em dia, aceitar cartão de crédito não é sinônimo de credibilidade; simplesmente é a forma mais fácil de conseguir receber dinheiro, uma vez que se trata de um dos métodos de pagamento com maior capilaridade.

A AAPA afirma que mantém uma relação de longo prazo com o PayPal, e a instituição financeira se comprometeu a encontrar soluções para combate a pirataria e o impacto na sua marca. A associação também menciona que a Visa possui “procedimentos rigorosos” e envia cartas de cessar e desistir, mas critica que isso leva muito tempo e o mercado pirata continua girando enquanto isso.

E no Brasil?

Em uma rápida pesquisa por provedores piratas de IPTV que atuam no Brasil, foi possível encontrar vários fornecedores que aceitam pagamento por cartões de crédito, Pix, boleto bancário, Mercado Pago e PicPay.

Alguns provedores piratas não têm loja virtual com pagamento online, e o botão de assinar redireciona para um link de conversa no WhatsApp. Também existe um mercado de revendas, onde é possível adquirir créditos no atacado e vender o acesso para outras pessoas.

No entanto, existe outro tipo de IPTV muito popular no Brasil, que não exige assinatura e funciona em modelos específicos de TV Box. Nesse caso, o único custo para o cliente é o valor do aparelho; como não há mensalidade, é dispensado o uso de cartões de crédito ou processadores de pagamentos.

Com informações: TorrentFreak

Lucas Braga

Autor especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque