5G “da China”: rinha de ministro e ex-ministro vai parar na Justiça

Rinha de ministros do governo Bolsonaro tem queixa-crime de calúnia e difamação por acusação envolvendo China e 5G

Pedro Knoth
Por

O ministro das Comunicações Fábio Faria entrou com uma queixa-crime na Justiça contra o ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Segundo os advogados de Faria, o ex-chanceler cometeu os crimes de calúnia e difamação ao afirmar em um podcast que Faria “entregou o 5G para a China”.

Fábio Faria, ministro das Comunicações, entrou com queixa-crime contra Ernesto Araújo, ex-ministro de Relações Exteriores (Imagem: Cléverson Oliveira/Mcom/Flickr)

Fábio Faria é acusado de entregar 5G para a China

Fábio Faria comunicou em seu Twitter que estava abrindo uma queixa-crime na Justiça contra o ex-colega ministro. No post, ele escreveu que “enquanto uns trabalham para o Brasil, outros só atrapalham”. A ação foi protocolada na 7ª Vara Criminal do TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios).

“A partir de agora, mentiras e teorias exdrúxulas (sic), fruto de criações mentais, serão tratadas na justiça”, continuou o post. O ministro das Comunicações coordenou esforços do governo Bolsonaro para realizar o leilão do 5G, que teve grandes operadoras do país, como Claro, TIM e Vivo entre as principais arrematadoras de frequências da nova rede.

Mas, para Ernesto Araújo, Fábio Faria foi responsável por entregar o 5G nas mãos dos chineses — ele não apresentou provas que sustentem sua teoria.

Ernesto também disse que o atual ministro das Comunicações faz parte de um movimento do Centrão, que reúne partidos como PP, PSD (sigla pela qual Faria é deputado federal) e PR, de surrupiar as rédeas do governo Bolsonaro dos conservadores. O ex-chanceler comentou:

“PP, para mim, é partido de Pequim. Essas pessoas então quiseram o que, agora querem uma política externa completamente desvinculada de um processo de transformação interna que está transformando o Brasil em uma colônia chinesa. (…) Três pessoas que são chaves nisso: Ciro Nogueira, Fábio Faria, que entregou o 5G para a China, e Fábio Arruda.”

Araújo comentou que, a partir do momento em que o Centrão começou a entrar no governo, ele foi perdendo espaço para ditar como seria a política externa do Brasil, que era “transformadora” em seu ponto de vista.

Ex-chanceler insinuou que Faria agiu em nome da China

A queixa-crime aberta por Fábio Faria foi protocolada pelos advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Veloso. Segundo eles, Ernesto Araújo insinuou que o atual ministro prevaricou ao exercer sua função à frente do Ministério da Comunicação, porque colocou os interesses de outro país em primeiro lugar.

Além disso, o ex-chanceler teria acusado o PP de ser “financiado diretamente pela República da China e, portanto, no seu entender, as ações do Ministério das Comunicações do Brasil estariam pautadas, na realidade, pelos interesses dos chineses”.

O governo Bolsonaro cogitou deixar a Huawei de fora do leilão do 5G, além de banir quaisquer equipamentos da empresa no Brasil. A medida seria um aceno à política norte-americana; nos EUA, a Huawei foi banida pelo governo do ex-presidente Donald Trump por razões de segurança dos cidadãos do país.

No final das contas, ao criar o edital do leilão do 5G, o Ministério das Comunicações e a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) não impediram a participação da empresa chinesa.

A Huawei é a principal fornecedora de equipamentos para as operadoras brasileiras, representando entre 40% a 50% desse mercado. Segundo a Vivo, 65% dos cabos de sua rede 4G vêm da chinesa — apenas 35% são da sueca Ericsson.

Com informações: Yahoo Notícias

Pedro Knoth

Ex-autor

Pedro Knoth é jornalista e cursa pós-graduação em jornalismo investigativo pelo IDP, de Brasília. Foi autor no Tecnoblog cobrindo assuntos relacionados à legislação, empresas de tecnologia, dados e finanças entre 2021 e 2022. É usuário ávido de iPhone e Mac, e também estuda Python.

Relacionados

Relacionados