Coronavírus – SUS não valida teste positivo de COVID para alerta de exposição

Aplicativo do Ministério da Saúde para monitorar a pandemia no Brasil não permite que usuários validem teste positivo de COVID-19 e avisem contatos próximos

Pedro Knoth
Por

O app Coronavírus – SUS, do governo federal, tem diversos recursos para monitorar a pandemia no país. Um deles é o alerta de exposição, que avisa quando o cidadão teve contato com alguém que testou positivo para a doença — entretanto, essa função apresenta falhas e não permite que pessoas infectadas pela COVID-19 registem testes positivos.

Coronavírus-SUS/Gabrielle Lancellotti
Aplicativo do Coronavírus-SUS, criado pelo Ministério da Saúde (Imagem: Gabrielle Lancellotti/ Tecnoblog)

O app Coronavírus – SUS foi divulgado pelo governo federal em março de 2020, no início da pandemia, como a solução para acompanhar as principais atualizações sobre o avanço da COVID-19 no Brasil. Mas a plataforma foi deixada de lado pelo Ministério da Saúde, e o último update ao aplicativo foi em 23 de abril de 2021.

App do Ministério da Saúde leva a site que “não existe”

Ao oferecer o alerta de teste positivo, o aplicativo leva o usuário a uma página externa por meio do link validacovid.saude.gov.br. Mas, ao abrir a página no Safari para iOS, consta que o navegador não consegue abri-la porque o servidor não “pode ser encontrado”. A tentativa de abrir a guia no Chrome para macOS exibe o mesmo resultado.

Na verdade, o link correto cujo app falha ao indicar é o validacertidao.saude.gov.br. Neste endereço, o usuário consegue usar o QR Code do certificado do exame, ou ainda um código numérico presente no documento, para validar o teste positivo.

Pelo app, parece que é impossível de corrigir o erro a não ser com uma atualização. Somente assim os usuários do Coronavírus – SUS podem comprovar às suas redes de contatos próximos que testaram positivo para a doença.

Com a nova onda da pandemia provocada pela variante Ômicron, mais contagiosa do que versões anteriores do coronavírus, o Brasil registrou entre terça (25) e quarta-feira (26) cerca de 224 mil casos de COVID-19 — um novo recorde de notificações desde o começo da pandemia.

Coronavírus – SUS teve baixa adesão dos brasileiros

O site Manual do Usuário entrou em contato com o governo federal para descobrir quantas pessoas baixaram o Coronavírus – SUS. A resposta: até dezembro de 2020, plataforma chegou aos smartphones de apenas 5% dos brasileiros, com 10,6 milhões de downloads — sendo 1,9 milhão de usuários no iOS e 8,7 milhões no Android.

Vale lembrar que outro app oficial do Ministério da Saúde, o ConecteSUS, reúne os principais serviços ao cidadão, como carteira de vacinação e a emissão do passaporte da vacina. A falta de atualizações e propagandas sobre o Coronavírus – SUS desestimula ainda mais o download.

Conecte SUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)
ConecteSUS (Imagem: Gabrielle Lancellotti/Tecnoblog)

Além da validação do resultado de teste de COVID, outros recursos do app também estão desfasados. Na sessão da plataforma sobre principais formas de evitar contágio de COVID-19, não há menção sobre máscaras do tipo PFF2 ou N95, que são quase 100% efetivas na proteção contra o coronavírus, segundo pesquisa do Instituto Max Planck (em inglês), da Alemanha.

Outra informação desatualizada: o app diz que a vacinação é recomendada, mas a orientação só serve para “grupos prioritários conforme o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação”.

Atualmente, qualquer adulto de 18 anos para cima pode tomar qualquer imunizante contra a COVID-19 em postos de saúde, e algumas capitais do Brasil, como São Paulo, já vacinam crianças de 5 a 11 anos.

Com informações: MacMagazine

Relacionados

Relacionados