Início / Notícias / Aplicativos e Software /

Google “mata” G Suite grátis, mas planeja alternativa para alguns usuários

Formulário criado pelo Google sugere que companhia pode lançar plano mais barato ou até gratuito para alguns usuários do G Suite legado

Emerson Alecrim

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

O fim do G Suite gratuito deixou muitos usuários transtornados. Clientes do serviço terão que migrar para as opções pagas do Google Workspace até 1º de julho ou, então, mudar para plataformas rivais. Mas, nesta semana, surgiram pistas que sugerem que o Google está considerando manter recursos grátis ou mais baratos para determinados usuários.

Google Workspace (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Google Workspace (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Para entender o que pode levar a companhia a ser flexível sobre o fim do G Suite gratuito, é preciso analisar o contexto. O serviço surgiu em 2006, com o nome Google Apps, e permitia que qualquer usuário criasse contas no Gmail com domínio próprio.

Registrar domínios é uma tarefa que, frequentemente, tem pouca complexidade e custo baixo. Isso levou muita gente a registrar algo no estilo meudominio.com e usar esse domínio para criar contas de email personalizadas no Google Apps, afinal, a plataforma era gratuita.

Inicialmente, cada cliente do Google Apps podia criar até 100 contas de email. Alguns usuários relatam que, mais tarde, esse número foi revisado para até dez contas.

Essa facilidade durou até 2012, quando o Google Apps deixou de admitir contas gratuitas. Felizmente, quem havia criado contas antes dessa mudança podia mantê-las, mesmo quando, em 2016, a plataforma foi rebatizada para G Suite.

Fim do G Suite gratuito

Agora, no início de 2022, o Google informou que as contas gratuitas serão encerradas. A opção é migrar para o Google Workspace, mas esse serviço é pago — no Brasil, o plano mais barato tem custo de R$ 24,30 mensais para cada conta.

Quem não quiser pagar pode migrar seu domínio para outra plataforma. O problema é que, nesse processo, o usuário perderá acesso aos demais recursos oferecidos pelo Google (agenda, Drive, Meet e outros), bem como terá dificuldades para gerenciar assinaturas na Google Play Store ou acessar filmes comprados no YouTube, por exemplo.

Essa situação é tão delicada que um escritório de advocacia está cogitando abrir um processo judicial coletivo contra o Google por causa do fim do G Suite gratuito (ou G Suite legado).

Eis então que Ron Amadeo, do Ars Technica, descobriu que o Google criou um formulário com o aparente intuito de identificar clientes do G Suite gratuito que usam o serviço para fins pessoais. A descrição diz o seguinte:

Nós entendemos que alguns clientes podem não usar a edição gratuita legada do G Suite para empresas. Preencha o formulário a seguir se você tiver 10 licenças ou menos e estiver interessado em receber atualizações sobre outras opções para a sua conta herdada não comercial nos próximos meses.

Essa pesquisa indica que, talvez, o Google irá oferecer um pacote de serviços gratuitos para usuários do G Suite legado que têm dez ou menos contas na plataforma — ou, ao menos, venha a oferecer um plano pago mais barato que os atuais.

Muitos usuários do G Suite legado ainda não foram informados pelo Google sobre o fim da gratuidade e ficaram sabendo da mudança pelo noticiário. Essa situação reforça a possibilidade de o Google ter outros planos para clientes com poucas contas ativas.

Com informações: 9to5Google.