Início / Notícias / Finanças /

AMD supera expectativas e cresce 68% em receita anual com venda de chips

AMD bate recorde de receita anual em 2021, com US$ 16,4 bilhões impulsionados pela venda de processadores Ryzen e GPUs Radeon

Murilo Tunholi

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

A AMD superou as expectativas do mercado no final de 2021 e fechou o ano com alta de 68% na receita total dos 12 meses, batendo o recorde histórico, com US$ 16,4 bilhões. Essa quantia foi impulsionada por todos os setores da empresa, em especial pelo segmento de processadores Ryzen e placas de vídeo Radeon para computadores domésticos.

Lisa Su, CEO da AMD (Imagem: Divulgação/AMD)
Lisa Su, CEO da AMD (Imagem: Divulgação/AMD)

Na receita trimestral, a AMD também teve alta de 49%, em relação ao mesmo período de 2020, chegando a US$ 4,8 bilhões. Esse foi um belo final de ano para a fabricante, que deve continuar crescendo em 2022.

Os processadores Ryzen e os chips gráficos Radeon construídos nas arquiteturas Zen são verdadeiros sucessos no mercado de hardware. Especificamente, o setor de componentes para computadores da AMD cresceu 32% nos últimos três meses do ano passado, comparando com o mesmo período de 2020.

Vale mencionar que parte dessa alta na receita foi causada pelos preços das peças, que ficaram mais caras devido à escassez de chips semicondutores no mundo.

Enquanto a AMD lucra cada vez mais com a venda processadores e placas de vídeo, a Intel está perdendo receita no mesmo segmento. Pelo que parece, a gigante azul terá que se esforçar para recuperar a confiança dos clientes e investidores no futuro, se quiser voltar a crescer nesse setor.

Há ainda outro problema. Além de ter que lidar com a AMD, a Intel também precisa se preocupar com a Apple, que está cada vez mais forte com a venda de MacBooks equipados com chips M1.

O segmento de chips para PCs da AMD não foi o único que cresceu. A empresa também viu um crescimento expressivo de 75% no setor de componentes corporativos, incorporados e semi-personalizados, em relação ao último trimestre de 2020. Esse aumento foi impulsionado pela venda de peças Epyc para bancos de dados e placas customizadas, como as GPUs RDNA 2 do PS5 e do Xbox Series X|S.

Os resultados positivos da AMD ainda ajudaram a impulsionar as ações das principais fabricantes de componentes eletrônicos. Segundo a Reuters, os papéis da AMD dispararam 11%, após o anúncio do relatório financeiro, nesta terça-feira (1º). Logo depois, houve saltos de 5% na Nvidia, de 2% na Qualcomm e de 1,5% na Micron Technology. A Intel, por outro lado, caiu quase 1%.

Para o primeiro trimestre de 2022, a AMD espera que a receita trimestral atinga US$ 5 bilhões. Se isso se concretizar, a empresa vai crescer 45% em comparação com o mesmo período de 2020. Segundo a fabricante, os números podem ser beneficiados pelas vendas de processadores domésticos da linha Ryzen, assim como de servidores para empresas.

2022 pode ser um ano fortíssimo para a AMD

O ano de 2022 promete ser bastante promissor para a AMD. A fabricante já está pronta para lançar sua linha de processadores Ryzen 6000 para notebooks, com promessa de 24 horas de bateria e muito mais velocidade.

Além disso, os Ryzen 7000 para desktops fabricados em 5 nm na nova arquitetura Zen 4 vem aí no segundo semestre para bater de frente com o Apple M1.

No segmento de placas de vídeo, a AMD também deve surpreender. Apesar do fiasco que foi o anúncio da Radeon RX 6500 XT, que é “ruim de propósito” para afastar mineradores de criptomoedas, a fabricante está preparando as novas GPUs RX 6000S para notebooks — construídas em 6 nm para entregar mais desempenho e economia de energia, em comparação com a geração passada.

Com informações: Reuters.