Início / Notícias / Computador /

Protótipo de monitor Full HD de 500 Hz é revelado pela BOE

Fabricante chinesa BOE revela protótipo de monitor com taxa de atualização de 500 Hz; previsão de lançamento da tela é um mistério

Bruno Gall De Blasi

Por

Notícia
Achados do TB Achados do TB

As melhores ofertas,
sem rabo preso 💰

Monitores para PC com taxas de atualização de até 360 Hz já são realidade. Mas esse não é o limite: na semana passada, a BOE, empresa chinesa que fornece painéis para celulares e tablets, apresentou um protótipo de uma tela de 500 Hz. O painel que tende a agradar principalmente o público gamer possui resolução Full HD

BOE revela protótipo de monitor com taxa de atualização de 500 Hz (Imagem: Reprodução/Sina)
BOE revela protótipo de monitor com taxa de atualização de 500 Hz (Imagem: Reprodução/Sina)

O monitor foi revelado em uma publicação feita pelo perfil OLEDIndustry no portal chinês Sina. O artigo fala sobre uma tecnologia de semicondutores de óxido para telas adotada pela empresa. Entre os resultados, está um painel de 27 polegadas com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) e taxa de atualização de 500 Hz – ou seja, as imagens são atualizadas quinhentas vezes por segundo (!).

A especificação é, sem dúvidas, de saltar os olhos. Atualmente, é normal encontrar monitores gamer que vão além dos 60 Hz convencionais, com 120 Hz ou 144 Hz de taxa de atualização, frequências que aparecem até em celulares como o iPhone 13 Pro, Galaxy S21 Ultra e Xiaomi Black Shark 4S Pro. Se você for mais exigente, algumas fabricantes vendem até telas de 240 Hz ou incríveis 360 Hz, por exemplo.

E não há o que questionar: 500 Hz é um marco e tanto. Ainda assim, o protótipo não aparenta usar a tecnologia OLED: a tela, ao que tudo indica, traz um painel TFT LCD baseado em óxido – o tipo, porém, não foi revelado pela companhia. Além disso, o vídeo de demonstração indica que o monitor segue o padrão Embedded DisplayPort (eDP) de 8 pistas e tem cores de 8 bits.

Apesar da demonstração, o lançamento do monitor é incerto: a BOE não revelou planos comerciais para levar a tela às prateleiras. 

Com informações: ArsTechnica e The Verge